Dados Técnicos
O Livro Cor de Triângulo Cor-de-Rosa (a.k.a o Livro de Gabriel)
ISBN 978-85-366-0763-4
Poesia - JS 4184
Formato 14 x 21 cm
108 páginas
1ª Edição - Ano 2007

Disponível para venda na Livraria Asabeça, Rua Dep. Lacerda Franco, 187, Pinheiros, São Paulo, SP, CEP 05418-000, telefone (11) 3031-2298 ou na Livraria Virtual Asabeça 
O livro Cor de Triângulo Cor-de-Rosa (a.k.a o Livro de Gabriel)

Amante desesperado de tudo que é vida e de tudo que é jeito de viver, sofrido e cansado em nome da arte. Os ditos de Marcílio Farias, reunidos em O Livro Cor de Triângulo Cor-de-Rosa, não começam nem acabam, não tem data. Os títulos nem são títulos, escondidos entre parêntesis, mostram uma obra de texto que pode ser lido de forma contínua, ou pedacinho por pedacinho, assim como a vida. Os pontos finais são pausas para respirar de um assombro ao outro, para "enfiar a vida na cabeça".

Os poemas foram escritos num período de dez anos, com os mais diferentes panos de fundo, dores, ventos e gostos. E porque triângulo cor-de-rosa? Durante a Segunda Guerra Mundial, nos campos de concentração, os homossexuais eram obrigados a usar um triângulo cor-de-rosa no peito. Hoje em dia, não se usa mais o triângulo.

Marcílio Farias

Marcílio Farias, formado e pós-graduado (Jornalismo, Cinema e Filosofia) nos anos 70/80, o autor trabalhou no mesmo período para a UNICEF/Brasil, USIS - Brasil e WHO, como consultor e assesor de assuntos públicos e culturais, respectivamente. Na Universidade de Brasília (turma de 72) (BA, MA e MS) estudou com Lee Falk, Sergio Porto, Fracisco Diana de Araújo, Carlos Chagas e Eduardo Souza.

Atuou como secretário particular do escultor Rubem Valentim, professor visitante da Universidade de Brasília e da Fundação Nacional de Teatro, editor assistente do Jornal do Brasil, Correio Braziliense; Última Hora, Jornal do Unicef e The Brazilian (NY). No ano de 74 integrou a equipe vencedora do Prêmio Esso para Melhor Contribuição à Edição Jornalística / Jornal de Brasília. No final da década de 80, escreveu e dirigiu o curta metragem "Digitais" hors-concours em Lousanne e no Festival de Salvador, vetado pelo Concine logo em seguida.

Em 1989, emigrou legalmente para os Estados Unidos. Atuou como assessor cultural add hoc do Consulado Geral do Brasil em Boston de 1993 a 2003, professor visitante da universidade de Massachusetts - Boston, conferencista convidado do David Rockefeller Center for Latin American Studies (Harvard University) e Sloan School of Management (MIT), professor de Comunicação Impressa e de História da Cultura na Univerdade de Phoenix, AZ, EUA. Primeiro livro publicado: "Visual Field" (Watermark Press, MD, EUA, 1996; Editors' Choice Award, 1996). Membro honorário da American Academy of Poets (Owing Mill, MD), da International Society of Poets (Washington, DC) e sa Society of Friends of the Longfellow House (Cambridge, MA).

Vive e trabalha entre Natal (Brasil) e Phoenix - Miami - Boston (EUA).