Dados Técnicos
A truculenta consciência das coisas
ISBN 978-85-366-0694-1
Contos - JS 4117
Formato 14 x 21 cm - 64 páginas
1ª Edição - Ano 2007

Disponível para venda na Livraria Asabeça, Rua Dep. Lacerda Franco, 187, Pinheiros, São Paulo, SP, CEP 05418-000, telefone (11) 3031-2298 ou na Livraria Virtual Asabeça
A truculenta consciência das coisas

Essas são algumas das histórias que Hilda Mendonça, com sua linguagem envolvente, nos oferece no livro A truculenta consciência das coisas, um livro de contos, a que se mesclam reminiscências e lembranças de pessoas e lugares. Por isso, é uma tarefa prazerosa estar à porta para receber os leitores e convida-los a saborear essas narrativas, que têm cheiro e gosto de nossa terra e nossa gente. Douglas Tufano.

Hilda Mendonça
Hilda Mendonça da Silva nasceu em Alpinópolis (MG). Filha de Alfredo Crispim da Silva e Antonia Francisca Mendonça, é casada com Antonio Vicente da Silva. Formada em Magistério – Letras Inglês/Português, pós-graduação em Ensino Institucionalizado e Educação para adultos, além de diversos cursos na área da Educação. Após completar seus estudos (médio e superior) em Passos (MG), onde residiu por 17 anos, mudou-se para Brasília, em 1975, aprovada em concurso público como professora de Língua portuguesa e Literatura brasileira, exercendo o magistério por 25 anos, notadamente na cidade satélite de Taguatinga (DF), onde se envolveu também em atividades com literatura, desfiles da cidade, musicais, bibliotecas etc. Filiada ao Sindicato dos Escritores do Distrito Federal, tem sua biografia registrada no Arquivo Público do DF, recentemente publicada em uma revista da ADPF junto a uma entrevista sobre seu trabalho de resgate da história de Taguatinga. Participou do projeto “Leitor Criador”, das escolas públicas do DF, e do Projeto Luz e Autor em Braille (PLAB), da biblioteca Braille Dorina Nowill, em Taguatinga. Aposentada, em 2000, Hilda voltou a residir em Passos (MG), dedicando-se mais aos seus livros. Dentre as inúmeras homenagens que recebeu ao longo desta jornada a que mais se destaca é ter dado seu nome à Biblioteca do CEM-EIT  Taguatinga (DF), chamada Biblioteca Hilda Mendonça.