Dados Técnicos
Um Olhar Sobre a Vida - Dos Dissabores e da Beleza
Lenilda Almeida Valença Reis

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-1188-4
Formato 14 x 21 - 128 págs.
1ª edição - 2008
Um Olhar Sobre a Vida - Dos Dissabores e da Beleza

Procuro mostrar o que vejo na vida, de acordo com os olhos da esperança, do otimismo, da alegria e da fé. Agradecendo sempre, aquilo que temos, por tudo que está aí, ao nosso redor: família, trabalho, amigos e a natureza (que é maravilhosa, e de tão acostumados com ela, achamos tão natural que não lhe damos o devido valor, passa despercebida, e acho que não devemos deixar isso acontecer, é preciso enxergar sempre a grandiosidade do espetáculo que ela nos oferece, e gratuitamente!)
Por outro lado, há todo um conjunto negativo, incluindo a doença, as injustiças sociais em geral, com as quais de forma alguma, devemos nos acostumar, procurando inclusive, nos informarmos, lermos,nos atualizarmos, pois só assim se abrirão maiores possibilidades, em todos os campos, do pessoal ao profissional.
Um terceiro ponto muito importante foi os 20 anos de trabalho, na área hospitalar, onde presenciei aspectos muito tristes sem, contudo, esquecer o lado bom: incluindo a dedicação e o empenho  dos profissionais ;  o convívio com colegas de trabalho, e os próprios pacientes, todos contribuindo para o nosso enriquecimento pessoal e profissional, de forma muito gratificante!

Lenilda Almeida Valença Reis

Lenilda Almeida Valença Reis, nasce em São Bento do Una (PE), em 3 de novembro de 1956. Tem duas irmãs - Joilda e Iolanda - é casada e tem dois filhos - Jean e Laís.
Possui Técnico em Contabilidade. Antes de ser alfabetizada já se interessava por livros. Sua família morava em um sítio, numa época que as pessoas se reuniam nas casas à noite e liam, em voz alta, folhetos de cordel. Uma dessas casas era a do avô materno. Anos mais tarde, seguindo a tradição, leria para os familiares e presentes, nas férias e nos finais de semana.
Sua iniciação escolar teve início na casa do avô paterno, onde uma professora da cidade lecionava para as crianças da redondeza.
Por volta de 1964, a família mudou-se para São Paulo, onde ficou por dois anos e, então, voltou à Pernambuco.
Suas primeiras leituras foram "Luluzinha e Bolinha" e a obra de Monteiro Lobato, as quais lia no sítio, à sombra de um antigo imbuzeiro. A essa altura, já escrevia poemas e até mesmo um romance ("Felicidade Ameaçada").
O pai incentiva nos estudos, tomando-lhe a tabuada ou as capitais do Brasil e do Mundo.
Começou a trabalhar em meados de 1971, como Auxiliar de Escrita Fiscal. Participava ativamente do grupo de jovens da igreja católica da cidade cuidando também de sua biblioteca.
Mudou-se para Escada, Zona da Mata do Estado, onde morou 4 anos, quando foi para São Paulo, em janeiro de 1980, época em que conheceu seu segundo marido.
Trabalhou em Contabilidade até Novembro de 1987, quando entrou no Hospital Universitário da USP, onde está até hoje, como Auxiliar de Administração.