Dados Técnicos
Das cinzas ao renascimento
Cleivânia Lima de Almeida

Scortecci Editora
Autobiografia
ISBN 978-85-366-1269-0
Formato 14 x 21 - 140 páginas
1ª edição - 2008

Das cinzas ao renascimento

A autora nos conta a trajetória vivida por ela desde a descoberta de um tumor cerebelar até a manifestação da Síndrome de Stevens-Johnson, a SS-J, um tipo de alergia medicamentosa que, se não diagnosticada imediatamente, pode ser fatal.
A manifestação da SS-J provocou em Cleivânia erupções eritematosas (bolhas de sangue) generalizadas, hiperemia conjuntival e erosão nas mucosas ocular, bucal e genital – que a impediam de ver, comer, falar e, ainda, urinar.
Devido à gravidade do estado de saúde dela, os médicos atribuíram a cura a um milagre, comparando-a a Lázaro, amigo de Jesus Cristo.
Esta história, rica em detalhes, comprovada por fotos e narrada em forma de diário, transporta o leitor para uma realidade nua e crua onde passado, presente e futuro se encontram, através de lembranças e expectativas, num mesmo espaço físico, um leito hospitalar.
Das Cinzas ao Renascimento não é um livro baseado em fatos reais. Ele é a pura realidade. Uma experiência edificada com dor, angústia, solidão, sonhos dilacerados e medo de jamais enxergar o lado esperançoso do mundo e o horizonte, literalmente.
Das Cinzas ao Renascimento é o retrato de um quebra-cabeça montado ao longo dos anos e moldado pelas seqüelas deixadas pela SS-J – a Síndrome de Stevens-Johnson.

Cleivânia Lima de Almeida
Cleivânia Lima de Almeida nasceu na cidade de Boquira, Esta-do da Bahia.
No início de 1988, mudou-se com a família para a cidade de Santo André, São Paulo.
Estudou Comunicação, habilitação em Rádio e TV, na Universidade Metodista de São Paulo.
Em 1996, retornou à Bahia, para a ci-dade de Vitória da Conquista onde trabalhou como repórter de rádio e de jornal e como auxiliar de coordenação numa campanha para prefeito.
Somente em meados de 1997, retornou a Santo André e no ano seguinte, entrou para a Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Lá, ingressou no curso de pós-graduação (lato-sensu) em Gestão de Processos Comunicacionais.
Também em 1998 trabalhou como auxiliar de assessoria de imprensa, campanha política para deputado, em Santo André.
Desde o ano de 2000 trabalha como professora da Rede Estadual de Ensino de São Paulo.
Em 2004 foi convidada para participar da fundação da APOS – Associação Brasileira dos Portadores de Olho Seco – e até hoje faz parte do quadro diretivo da entidade.
Em 2006 entrou para a UNIBAN – Universidade Bandeirante de São Paulo – onde estudou o curso de Pedagogia – letras/português. Um ano depois, na mesma universidade, cursou Pedagogia – administração escolar.
Atualmente trabalha como professora e realiza palestras para divulgar a APOS e a síndrome do olho seco, da qual é portadora.