Dados Técnicos
A Conversação
Izacyl Guimarães Ferreira

UBE/Scortecci
Poesia
ISBN 978-85-366-1358-1
Formato 12 x 18 cm - 72 páginas
1ª edição - 2008
A Conversação

Neste poema de título A Conversação Izacyl Guimarães Ferreira alcança o mais alto patamar de sua longa, discreta e paciente trajetória poética.
É um desses poemas que os poetas só podem produzir no tempo final de um ofício em que os acréscimos contínuos de experiência artística se fundem com a experiência vital sedimentada e tornada uma reflexão do mundo.
A Conversação é um longo poema íntegro e final, uma obra de madureza e plenitude. Nele o silêncio se faz voz e a voz se faz silêncio. Abriga em seus versos o fim que é o começo, a chegada que é partida,o rigor que é alumbramento e libertação.
O poeta fala simultaneamente a si mesmo e de si mesmo: ao outro e aos outros homens.
Toda conversação é uma dádiva.

Lêdo Ivo

Izacyl Guimarães Ferreira

Izacyl Guimarães Ferreira escreve, traduz e comenta poesia. Presidente do Conselho Consultivo e Fiscal da UBE - União Brasileira de Escritores, para o biênio 2006-2008. Membro da Diretoria Executiva de 2002 a 2004. A partir de 2005 edita a Revista O Escritor e o Portal UBE. Com freqüência participa de júris (Prêmio Literário Livraria Asabeça), ciclos de palestras e oficinas de poesia, de entidades oficiais e particulares.
É autor de 15 livros de poesia, alguns deles distinguidos em premiações. Exemplo, a obra de estréia, “Os endereços”, que obteve o Prêmio Hipocampo para autores inéditos, encerrando, com sua publicação em 1953, as celebradas edições de luxo impressas manualmente para 100 bibliófilos, por Geir Campos e Thiago de Mello. Outro exemplo, a menção honrosa do Casa de las Américas, de Cuba, em 1999, para “Ocupação dos sentidos”. Recentemente venceu o Prêmio ABL de Poesia 2007 pela obra “Discurso Urbano”, selo Scortecci Editora.
Os 7 primeiros livros de Izacyl foram reunidos em 1980 sob o título “Os fatos fictícios”, pela editora LR, de Ricardo Ramos e Julieta de Godoy Ladeira. Em 1987 publicou “Aula mínima”, numa edição fora de comércio.