Dados Técnicos

De Fantasmas e Loucura
Pedro Braga

Scortecci Editora
Memórias
ISBN 978-85-366-1303-1
Formato 14 x 21 cm - 112 páginas
1ª edição - 2008

De Fantasmas e Loucura

Militante político, primeiramente de Ação Popular, depois do Partido Comunista Francês, este seu relato não resvala para a auto-exaltação nem para as famosas autocríticas, apenas constitui a narrativa de uma vida, tendo como fio condutor a busca de sentido existencial. Busca de sentido feita por um jovem que se torna adulto apesar de seus medos e fantasmas em tempos sombrios – busca essa, não obstante, marcada pela esperança. Ele percorre o itinerário do deserto, mas com a crença na idéia generosa do socialismo, na utopia (?) de uma vida mais digna, o que vale dizer, mais humana para todos. Sonhos, medos e perplexidades se misturam desde a tenra infância e acompanham o autor durante seu trajeto, onde perigos o espreitam como quem anda à beira de um abismo. De uma forma ou de outra, essa experiência transcende a individualidade, é um fenômeno social e político vivido por todos quantos se engajaram, na década de sessenta, nos embates em favor da liberdade, da justiça social e do restabelecimento da democracia em nosso país. Época em que as convenções eram quebradas e novas formas de relações intersubjetivas eram almejadas, um novo tipo de sociedade mais fraterna e igualitária, com a redefinição de novos papéis tanto para os homens quanto para as mulheres, que reivindicavam, estas últimas, a justo título, um reconhecimento cada vez maior na sociedade. Mas não se trata só da esperança e da utopia, mas igualmente da decepção diante do sonho não realizado, ao fim e ao cabo, devido aos limites da própria condição humana.
Este livro traz revelações inéditas sobre os bastidores da luta estudantil e perfis que podem chocar àqueles que idealizam a figura do “revolucionário” ou do comunista tido como “santo e mártir” de uma nova causa.
A infância nos remete para o Ateneu, de Raul Pompéia, com as agruras por que passam todos os jovens no ambiente  escolar e familiar. É um livro de nuances, escrito em um estilo simples e geralmente poético.
Como afirma o próprio autor, “O mundo e a mente são feitos de luz e sombra e de suas gradações. No final do tempo do absurdo, em que não haverá mais fantasmas nem loucura, seremos de novo poeira de estrelas. Poeira de estrelas com sede do Absoluto.”

Pedro Braga

Pedro Braga é de origem portuguesa. Cursou Sociologia na Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais da Universidade de Paris, Sorbonne, e Jornalismo no Instituto Francês de Imprensa. Advogado em Brasília, é autor de vários livros, entre eles A Ilha Afortunada, Crime e Sociedade e Ética,   Direito e Administração Pública.
Publicou artigos científicos em diferentes revistas do Brasil e do exterior, e crítica literária em jornais brasileiros. Ultimamente tem se dedicado à literatura infantil, tendo já dado a público O Lobo-Guará e O Bicho-Folha.