Dados Técnicos
Artes e Moda - Caminhos da Alta Costura e da Elegância
Leny de Lima

Scortecci Editora
Moda
ISBN 978-85-366-1427-4
Formato 14 x 21 cm - 220 páginas
1ª edição - 2009
Artes e Moda - Caminhos da Alta Costura e da Elegância
Andar bem vestido é importante para a apresentação pessoal.
Para a mulher torna-se quase uma obrigação, sendo também um profundo desejo: estar na moda, ser elegante.
Saber escolher a roupa de acordo com o seu tipo físico, ter bom corte, com medidas certas e costura caprichosa com técnicas perfeitas, demonstra bom gosto... enfim, ser elegante!
Este método de corte facilita o aprendizado, sem cálculos complicados e com traçados simples, em aulas por etapas, de forma esclarecedora e de fácil entendimento.
Leny de Lima
Ainda criança, Leny de Lima já manifestava gosto pela moda.
Com um sentido altamente criativo, desenhava e produzia roupinhas para suas bonecas, inventava pontos e modelos em tricô, desenvolvia estilos e criava moda em chapéus.
Ao atingir a adolescência, buscou como base para seus anseios, cursos de corte e costura e, em pouco tempo, já confeccionava peças que recebiam elogios de mestres e amigos, pelo bom caimento e criatividade.
Desejando um aprimoramento maior, fez o curso de “Artes e Moda”, onde formou-se professora em estilismo e modelagem. Na época, o curso era espelhado nas diversas tendências europeias e usavam vários métodos de modelagem, do francês ao alemão.
A industria têxtil no Brasil ainda era incipiente. Não existia roupa pronta (a chamada pret a porter) e nem produção de tecidos nobres. Senhoras elegantes dependiam de criações trazidas da Europa, ou de buscar cópias feitas por poucas e raras modistas, especializadas em confeccionar roupas sob medida.
E assim foi que aos 26 anos, Leny de Lima inaugurou sua primeira loja, ou “Casa de Modas” como eram denominadas. Batizou-a de Modas Ly.
Abriu caminho para importar matérias primas da Europa, de tecidos (lãs, linhos, sedas, rendas etc.) a botões, pedrarias para bordados, passamanarias e revistas de moda.
Suas criações iam desde as vestes de rua às de festas, do tailler ao manteaux, da roupa íntima ao traje de banho; tudo era feito sobmedida, de acordo com o tipo de cada cliente e com modelos criados exclusivamente para a mesma.
Em seu atelier (oficina) eram de-senvolvidos a criação dos modelos e da modelagem, por ela própria. A confecção ficava ao cargo de suas mais de trinta costureiras, vários alfaiates, bordadeiras e aprendi-zes, sob sua constante supervisão.
E foi através de seus estudos comparativos de diversos méto-dos em corte e costura (muitos sem tradução para o português), onde constatou que muitas “tabelas” complicadas de cálculos aplicadas à modelagem, na prática, traduziam-se por fórmulas simples e fáceis.
Nascia assim seu próprio método, de fácil compreensão até para leigos, sendo de grande ajuda para suas aprendizes/alunas.
Por mais de 40 anos a Modas Ly, sob a batuta de sua criadora, dedicou-se à confecção de Roupas SobMedida, e à criação de Alta Costura. Sua arte definia um estilo a cada uma de suas clientes e suas criações “lançavam moda”.
Hoje, já aposentada de suas “artes”, mas com o mesmo conceito de que a boa roupa, o bom corte e, principalmente, o bom gosto não se produzem em série, resolveu tornar público o seu método, que a exemplo de suas Casas de Moda, chamaria de Método Ly.