Dados Técnicos
O Mar das Minhas Ilusões
Gasparino José Romão
Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-2165-4
Formato 14 x 21 cm 
116 páginas
1ª edição - 2011
O Mar das Minhas Ilusões
A poesia é a “arte de escrever versos. É aquilo que desperta o sentimento do belo e o que há de elevado e comovente, nas pessoas e nas coisas. A poesia é sobretudo, encanto, graça, atrativo” (Aurélio Buarque de Holanda), “é o caráter do que comove ou eleva a alma, do que inspira; inspiração. Elevação nas ideias e no estilo.” (Laudelino Freire).

Apesar de ser a poesia uma arte “sempre haverá uma poesia popular sem arte e poetas populares sem o apuro gramatical e métrica, versejando com o falar a gentes místicas.” (Olavo Bilac). Em seu completíssimo Dicionário Howaiss da Língua Portuguesa, o saudoso Antônio Howaiss, em sua longa explicação em um trecho, assim define a poesia: “a arte de excitar a alma como uma visão do mundo, por meio das melhores palavras em sua melhor ordem, poder criativo, inspiração, o que desperta o sentimento de belo; aquilo que há de elevado e comovente nas pessoas e nas coisas...”

Contudo, nenhum dos verdadeiros poetas deixou de entender a poesia como um sentimento, que brota no recôndito da alma da gente, que não pode ser expresso quando bem queremos, mas, quando a inspiração no-la dita, expressão maior das vozes da alma, que não tem hora certa para se manifestar, brotada como a flor do campo, na transcendentalidade de pensamentos rítmicos, na cadência das expressões divinas. As poesias que eu escrevo são apenas a manifestação da minha alma, traduzida na tela que eu tento bosquejar, com o imaginário pincel da memória e revelar como o filme multicolorido de uma paisagem da vida, que é um fugaz instante em que a gente carece de uma existência inteira para conhecer e desfrutar. Os meus versos são pedaços da minha alma, que eu vou deixando esparsos pelos meus caminhos.
Gasparino José Romão
Gasparino José Romão