Dados Técnicos
Ai que Dor de Cabeça!
ISBN 85-7372-622-9
Auto-Ajuda - JS 3055
Formato 14 x 20,7 cm - 60 páginas
1ª Edição - Ano 2001

Disponível para venda na Livraria Asabeça, Rua Dep. Lacerda Franco, 187, Pinheiros, São Paulo, SP, CEP 05418-000, telefone (11) 3031-2298 ou na Livraria Virtual Asabeça
Ai Que Dor de Cabeça!
Não sou médico. Meu único título para escrever um livro sobre enxaqueca é que, durante quase toda uma longa vida, sofri desse mal. Falo por experiência e por longo estudo daquilo que os ingleses, notórios por não desejar exagerar e divulgar seus próprios males físicos, não chamam de doença mas qualificam simplesmente como desconforto (discomfort). Os americanos, milhões dos quais também são atingidos pelo desconforto, classificam-na como moléstia benigna, embora concedam que é uma das mais penosas que se conhece. Na verdade, ela não traz conseqüências secundárias e ninguém jamais morreu de enxaqueca, embora estou seguro que muitos tenham, em seu desespero durante uma crise, pensado: prefiro morrer...
Durante muitos anos contribuí para uma entidade de Londres conhecida como The Migraine Trust, que financia pesquisa sobre a desordem ou desconforto e publica boletins que informam sobre o que de mais recente se sabe sobre o mururu. Nos Estados Unidos existe um número considerável de clínicas especializadas no tratamento da enxaqueca e uma organização, o American Council for Headache Education, ACHE, com sede em Woodbury, Nova Jersey. Outra organização específica para o estudo da enxaqueca é a American Association for the Study of Headache (AASH). É na base desses dados e informações – colhidas em publicações científicas idôneas, sobre p que o Aurélio define como síndrome constituído por cefaléias periódicas, muitas vezes unilaterais, que se acompanham de náuseas, vômitos e perturbações sensoriais variáveis – que modestamente ofereço este livrinho ao público interessado...
...Numa população como a brasileira, os pacientes são milhões, provavelmente de dez a vinte milhões. É a eles que, como companheiro de infortúnio, dedico estas páginas. Ressalto, desde logo, que não esperem aqui encontrar nenhum segredo de cura milagrosa (ninguém conhece a cura da enxaqueca). Apenas algumas sugestões práticas para tentar prevenir ou minorar as crises, com o conselho básico aos migraineurs que não desejem recorrer a um médico: que tenham resignação, paciência e relaxem...
José Osvaldo de Meira Penna
José Osvaldo de Meira Penna, nascido no Rio de Janeiro, 1917. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, Universidade do Brasil. Cursos na Universidade de Columbia, Nova York, e no C. G. Jung Institut, Zurique.
Entrou para a carreira diplomática por concurso, em 1938. Serviu durante a guerra na China e na Turquia (1940-49) e ainda na Costa Rica e no Canadá (1950-53). Membro da Missão Permanente do Brasil junto às Nações Unidas, Nova York (1953-56). Chefe da Divisão Cultural do Itamaraty, 1956. Cônsul Geral em Zurique (1960-63). Embaixador na Nigéria. Curso superior de Guerra em 1965. Secretário-geral Adjunto para a Europa Oriental e Ásia, 1966. Embaixador em Israel (1967-70). Assessor do Ministro da Educação (1971-73). Embaixador na Noruega, Equador e Polônia, quando se aposentou (1974-1981).
Professor da UnB de 1982 a 1989. Jornalista e escritor com doze livros publicados. Membro do Conselho Técnico da Confederação Nacional do Comércio e da Academia Brasiliense de Letras. Membro da Sociedade do Mont Pèlerin. Presidente do Instituto Liberal de Brasília.