Dados Técnicos
Histórias de Vida de Verdadeiros Professores
Jaime Moreira Filho
Scortecci Editora
Histórias de Vida
ISBN 978-85-366-4723-4
Formato 14 x 21 cm 
192 páginas
1ª edição - 2016
Histórias de Vida de Verdadeiros Professores
“Amando ser professora”, “Basta amor no que faz”, “Dando aula para as cachorrinhas”, “E as brincadeiras continuaram...”, “Eu não queria ser professora”, “Foi um momento mágico! Eu havia nascido para ser professora”, “Minha história de vida”, “Muda, muda e parece que não muda”, “Mudanças e transformações: não estamos vendo”, “Muito sofrimento, na vida e na profissão”, “Na simplicidade do lar há sempre uma lição de vida”, “Um pouco de tristeza e muitas alegrias”, “Uma visão histórica sobre a educação”, “Uma visão particular, cronológica e crítica da Educação”. Esses são os títulos dos depoimentos que professores, com distintas trajetórias profissionais, todos atuantes no interior paulista, deram ao também professor Jaime Moreira Filho neste livro-reportagem.

Através dos títulos, em sua maioria transbordando diferentes emoções, já é possível perceber a que se propõe esta obra: montar um painel sensível e franco de vivências e experiências relacionadas à educação por gente que vive intensamente o dia a dia nas escolas no País, e ao mesmo tempo resgatar o prazer de contar e ouvir histórias.
Jaime Moreira Filho
Jaime Moreira Filho nasceu na Fazenda Primavera em Andradina (SP), onde ficou até os oito anos. A escola do 1º ano era longe, o lugar e a terra muito quentes (noroeste paulista) e ele não tinha sapatos, mas a professora era maravilhosa! A família mudou-se para a área urbana a fim de que sua mãe pudesse fazer um tratamento de saúde, mas pouco tempo depois ela faleceu. “O grande baque de minha vida. Aliás, filhos pequenos não deveriam perder a mãe. É muito sofrimento! Minha mãe era muito carinhosa. Lembro-me dela correndo atrás de mim com uma varinha. Mas ela não alcançava, porque não queria alcançar”, relata Jaime, saudoso. O autor iniciou suas atividades como professor aos 18 anos, numa escola rural na Fazenda Okagima, em Arabá (SP). Na sala, alunos do 1º ao 4º anos, como aconteceu em seu tempo de escola. Depois, entrou na primeira turma da Faculdade Osvaldo Cruz, em São Paulo (SP). Quase parou os estudos no segundo ano por falta de recursos, mas formou-se e foi professor até recentemente, quando se aposentou.