Dados Técnicos
Joelhos de Vidro, Manguaça e Outras Crônicas
Francisco Dandão

Scortecci Editora
Crônicas
ISBN 978-85-366-5511-6
Formato 14 x 21 cm 
188 páginas
1ª edição - 2018
Joelhos de Vidro, Manguaça e Outras Crônicas
Os 80 textos deste livro, Joelhos de vidro, manguaça e outras crônicas, mostram bem a genialidade e a perspicácia do escritor Francisco Pinheiro, para muitos Francisco Dandão. São múltiplas as sacadas e metáforas que se desenrolam por entre as letras reunidas por Francisco Dandão, fazendo milhares de assuntos se misturarem entre si: política, história, geografia, filosofia, economia e, claro, o futebol, além de outros do viver cotidiano do brasileiro que marcam presença nesta obra. Os assuntos se misturam e fazem eclodir histórias fantásticas, mergulhando o leitor nas maravilhas das narrativas, por onde perpassam lembranças e sonhos a cada olhar e o brotar de sorrisos de um tempo passado e presente. Tempos esses que se imbricam, a cada leitura das (des)conexões, que se ligam e religam a todo instante com a paixão nacional, o futebol, que é vivenciada nos pés descalços das crianças que jogam e se divertem na lama dos campos ensopados pela chuva, uns dizendo ser o Neymar, outros se denominando o Messi ou o Cristiano Ronaldo, ou o Buffon etc. Meninos que distribuem carrinhos toscos e que saltam para comemorar seus gols. São muitos os Zés que se distanciam e se aproximam com o radinho à pilha na mão. São muitos os Zés que se emocionam, pulam, gritam, xingam, bebem sua manguaça, choram e sorriem de emoção com o entrar do seu time em ação e com o balançar das redes. Para esses Zés, até o apito final é um bater descompassado o ritmo do próprio coração. É assim que me sinto ao me deixar envolver por cada crônica do mestre Francisco Dandão, submerso nos versos de suas narrativas do lá e do aqui. O jogo de palavras, gritos e sussurros criados pela emoção resgatam a minha infância, que eu sinto mais do que latente nas páginas deste livro.
Jefferson Henrique Cidreira - Escritor
Francisco Dandão
Francisco de Moura Pinheiro, nome de registro de Francisco Dandão, é licenciado em Letras (Ufac, 1980) e Direito (Ufac, 1986), mestre em Comunicação e Cultura (UnB, 1999) e doutor em Comunicação e Semiótica (PUC-SP, 2013). Membro da Academia Acreana de Letras (cadeira 28), tem outros três livros de crônicas publicados: A arte do chute na rede do improvável (2002), Verdades absolutas e outras mentiras (2005) e Trilhas urbanas no reflexo do espelho (2009).