O QUARTO DAS MOÇAS / MJ Vettorazzi

A autora oferece poesia a quem ama. Cabe-nos uma leitura com o coração. Ela espalha os sentimentos cuidadosamente. Aqui, acentua a responsabilidade. Ali, a companhia. Aqui, põe saudosismo. Ali, a religiosidade, a contemplação. Sentencia que o valor do silêncio precisa ser respeitado. Sua poesia traz temáticas atualíssimas: anúncio, denúncia, indignação, desejo, formação de consciência. Protesta, mas age para transformar o que está o seu alcance e orienta-nos para que tomemos consciência do aspecto social de nossos erros e de nossa responsabilidade no mundo de hoje.

O progresso chegou, mas o mesmo só é válido se contribui para o crescimento das pessoas. Com sabedoria, a autora relata isso nos encontros das comadres e jovens, em sua casa: o sábio prefere as pessoas às coisas. Sejamos atentos aos Anderson da Silva, citados em “Acerta essa, Brasil!” que pertencem às inúmeras categorias de marginalizados e excluídos da sociedade, afastados do convívio humano pela discriminação, pelo preconceito. Em todas as circunstâncias, a autora tira inspiração para cantar e bendizer a vida lembrando a passagem de Francisco de Assis. Isso é ver a vida com profundo amor! Amor infindável pela natureza, vistos nos versos de “Urubu Voa”?

Ali, a autora enfatiza, a cada verso, o valor de uma família estruturada. O resgate brilhante das brincadeiras e cantigas de roda. Por que nossos filhos e netos não podem, não conseguem mais sentir o sabor de tamanha alegria, embalada pela singeleza pela ingenuidade? No verso: (...) “vovó e papai contavam lindas histórias” explica o gosto da escritora pela leitura, pela poesia. Em “O quarto das moças”, vemos saudosismo, romantismo, ansiedade sadia, própria das mocinhas que, na verdade, queriam ser moças. A magnitude dessa poesia em retratar reminiscências ingênuas, questionadoras, simplórias... Expressas com intensidade e entusiasmo pela autora. De fato, os acontecimentos corriqueiros eram tratados com auto grau de mistério, o que só aguçava a curiosidade. De tamanha expressividade, visualizei a “Casagrande de Araponga”, onde nasci. Obrigada, escritora, eu viajei no tempo. As Professoras tinham devido valor – eram respeitadas, amadas e tinham lugar de destaque, na comunidade.
Maria das Graças Destefani

Descendente de imigrantes italianos, a filha de Florentino Vergílio Petri Vettorazzi e Lourdes Milaneze Vettorazzi nasceu em Campestre, vilarejo do município de Castelo (ES), em 01 de março de 1964. Artista plástica, professora, escritora e jornalista, exerce a função de Redatora e Chefe de Cerimonial na Câmara Municipal de Castelo desde 1987. Fundadora e diretora do jornal Folha de Castelo, em circulação no sul do Estado na década de 2000, foi eleita presidente do Instituto Cultural, Histórico e Geográfico de Castelo por dois biênios; ocupou a Coordenação Estadual de Artesanato e a Direção da Universidade Popular, órgãos da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, em 1996 e 1997; atuou como membro de vários conselhos municipais e estaduais em diversas áreas. No Magistério, lecionou em algumas escolas públicas e privadas, nos municípios de Castelo e Venda Nova do Imigrante. Foi professora de Literatura Portuguesa, Teoria Literária e Prática de Ensino para I Grau na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Alegre, Espírito Santo. Formada em Letras e pós-graduada em Língua Portuguesa e Promoção Cultural pela Universidade Estácio de Sá e Museu de Arte Moderna (RJ), fez vários cursos ligados às Artes: História da Arte, Genealogia, Museologia, Literatura e Cinema, este, com Eduardo Coutinho, em 2000. Participou de diversas exposições coletivas com grandes nomes das Artes Plásticas e individuais, uma delas com o título “Quem é esta Mulher?”, realizada em Vitória, no Espaço Cultural da Assembléia Legislativa. Em sua carreira de escritora e jornalista, já publicou centenas de artigos e poemas em jornais e revistas do sul capixaba e premiada em concursos literários acadêmicos. Autora do livro Sob os segredos do tempo, editado pela Muiraquitã (2004), tem muitas obras publicadas em antologias poéticas da Academia Feminina Espírito-Santense de Letras e na Antologia Internacional Del'Secchi. É membro da Academia Feminina Espírito-Santense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo – IHGES. Co-fundadora e presidente por dois mandatos do Instituto Frei Manuel Simón – IFMS, hoje é Presidente de Honra dessa Instituição, que trabalha na preservação do Patrimônio Arquitetônico, Histórico e Cultural do sul do Estado do Espírito Santo e membro da Società Italiana di Castello e Movimento Negro Castelense. Foi homenageada no Festival Literário de Castelo – FLIC, 2014, tendo recebido uma exposição de seus trabalhos literários e acervo. Dirigiu o documentário Lembranças Camponesas, lançado em outubro de 2014, parceria entre IFMS e SECULT – ES e é colunista social da revista Vida & Comércio, Castelo (ES).

Serviço:

O Quarto das Moças
MJ Vettorazzi

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-4064-8
Formato 14 x 21 cm 
144  páginas
1ª edição - 2015

Mais informações:

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home