VIDAS E PASSAGENS / Anthônio Dias

Aos 7 anos Elaus falava com um menino em torno da sua idade que somente ele via, e aos 11 gabava-se por se sentir homem feito. Estudou na sombra do juazeiro e foi salvo da fenda da montanha pela Mãe de Deus. Apaixonou-se na puberdade, aos 16 anos foi levado à casa da luz vermelha e trilhou as vias do prazer com uma mulher de 30. Anos depois foi para o Sul, casou-se, foi roubado, agredido e humilhado no metrô e visto na TV. Surpreendido por sua mãe e um menino após uma pedrinha correr o telhado, soube que ela fizera a passagem.

Ao voltar para o Nordeste, reencontrou o avô falecido há décadas, descobriu que seu primo era seu irmão e foi o único a saber desse segredo. Quando ele pedalava bicicleta na estrada cercada de arame, um carcará o acompanhava pulando de uma estaca para a outra e de repente seu amigo menino que não envelhecia surgiu à sua frente. A surpreendentemente transformação da Águia do Sertão fez Elaus desvendar um dos maiores mistérios da sua vida e do seu amigo menino.

ANTHÔNIO DIAS (Antônio Pereira Dias) nasceu no dia 13 de junho de 1950 na cidade de Sousa, no sertão da Paraíba. Filho de pais agricultores, morou na Bacia do Açude do Belo Horizonte, então Distrito de Marizópolis, município de Sousa, e começou a trabalhar desde menino para ajudar os pais. Entregava leite de manhã e estudava à tarde, depois passou a trabalhar de dia e a estudar à noite. Com muita determinação concluiu o curso científico aos 19 anos de idade. Serviu ao Exército e aos 22 anos foi para a cidade de São Paulo a fim de passar alguns meses, mas acabou ficando para morar. Único filho homem de Espedito Pereira de Sousa e de Maria das Neves de Sousa, que tiveram mais três filhas, Anthônio se casou em São Paulo aos 27 anos com Raimunda Barbosa da Silva, que recebeu seu sobrenome e com quem teve dois filhos, Fábio e Michel. Quando jovem pensava em ser psicanalista, cantor, ator ou escritor. Aos 63 anos aposentou-se e escreveu seu primeiro romance, Vidas e Passagens, no qual passou a adotar o pseudônimo de Anthônio Dias e realizou um dos sonhos mais sonhados. Admirador do estilo das obras de Graciliano Ramos e de Guimarães Rosa, Anthônio Dias se inspira na cultura do povo sertanejo para criar suas histórias. Além deste Vidas e Passagens, escreveu também Coroné Maria. Espera que pessoas que gostem de ler apreciem sua obra e possam viajar pelo fantástico mundo imaginário que todos construímos e carregamos dentro de nós para que jamais se apague da nossa memória.

Serviço:

Vidas e Passagens
Anthônio Dias

Scortecci Editora
Ficção
ISBN 978-85-366-3988-8
Formato 14 x 21 cm 
400 páginas
1ª edição - 2015

Mais informações:

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home