JORNADA RUMO AO SOL / Jorge Xerxes

Se Ícaro tivesse voado rumo ao Sol – suposto ter vencido a gravidade da Terra – como teria sido o seu fim? O Sol deve tê-lo consumido sem dó nem piedade. Transformado a massa de outrora num produto mais sutil. Fragmentos: imagens, lembranças, sonhos e outras sensações estéticas. Aquilo que denominamos poesia por pura impossibilidade de capturá-lo por inteiro. Isso, estes blocos elementares que compõem o sujeito, são os veículos propostos neste livro. Para a sua própria Jornada Rumo ao Sol.

Jorge Xerxes – heterônimo de Alessandro Teixeira Neto – é pisciano; nascido no ano de 1971. Mantém o blog “Palavras Órfãs de Poesia: O que Restou” desde 2008.
http://jorgexerxes.wordpress.com/
Natural de São João da Boa Vista, SP; “cresci ao pé da Serra da Mantiqueira; por entre trilhas e cachoeiras; sempre em rota de colisão àquele verde inconcebível”. Estudou por pouco mais de dez anos na Unicamp; “tinha o meu próprio ritmo de assimilar as coisas”, diz com um sorriso enigmático no canto da boca. Interessa-se por tudo aquilo que nos passa desapercebido; “gosto de escrever sobre as coisas pequenas”. Publicou:
As Cinquenta Primeiras Criaturas, livro de contos e poesias, 150 pp, Editora Multifoco, ISBN: 978-85-7961-109-4, (2010).
Para Pescar a Lua, livro de contos e poesias, 138 pp, Ryoki Inoue Produções, ISBN: 978-85-63427-09-0, (2011).
Trama e Urdidura; livro de contos, crônicas e poesias; 156pp; Scortecci Editora; ISBN: 978-85-366-2764-9; (2012).

Serviço:

Jornada Rumo ao Sol
Jorge Xerxes

Scortecci Editora
Literatura
ISBN 978-85-366-4181-2
Formato 14 x 21 cm 
132 páginas
1ª edição - 2015

Mais informações:

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home