BOIRÁ / Carlos Alberto Ribeiro de Lima

Quando os primeiros portugueses chegaram ao Brasil, ainda que o número seja incerto, estima-se que habitavam em nosso território cerca de seis milhões de nativos, espalhados por todo o solo brasileiro. Hoje pouco mais de 300 mil descendentes desses nativos ainda sobrevivem, do Oiapoque ao Chuí, da costa leste às profundezas da Floresta Amazônica, divididos em diferentes etnias e mantendo vivos cerca de 150 idiomas.

Durante os mais de 500 anos que nos separam do dia do descobrimento do Brasil, os acontecimentos que retratam esse tempo nos revelam a luta de muitos desses nativos pela sobrevivência, quase sempre em busca de um lugar livre dos males trazidos pelo homem branco, seu principal predador. Sustentado por esse relato, o romance escrito por Carlos Alberto traz sentido quase real à ficção. Temperado pela verdadeira história do Brasil, Boirá nos conduz ao que provavelmente foi vivenciado por muitos de nossos nativos, alguns deles ainda hoje espalhados pelo território amazônico, sem jamais terem tido qualquer contato com nossa sociedade.

Um romance envolvente e emocionante sobre a frágil relação entre índios e brancos que descreve a luta de um povo em busca de um mundo sem males, a saga de uma tribo de contato recente, que valentemente sobreviveu a toda a pressão exercida pela colonização e que, amparada por alguns, resiste a um futuro incerto, mantendo seus hábitos, suas tradições e seus costumes.

Ao descrever a percepção dos nativos que se deparam com as naus de Cabral na Bahia de Porto Seguro, o romance já nos fascina e segue assim, despertando a imaginação ao longo da trajetória de uma fuga de quase 500 anos. Envolvente e emocionante, a narrativa mostra a frágil relação entre índios e brancos, revelando a luta de um povo em busca de um mundo sem mal. Adornado com abundantes relatos históricos, Boirá nos conta a saga de sua tribo, os Zo’é, que valentemente sobrevivem a toda sorte de pressões exercidas pela colonização, percorrendo os milhares de quilômetros que separam a costa onde aportou Cabral do local onde foram encontrados em 1987, no nordeste do estado do Pará, a milhares de quilômetros de distância das regiões mais comuns a tribos tupi-guarani.

Com esse cenário, descrevendo grande parte da história e da geografia brasileira, o autor nos surpreende e emociona ao narrar uma fuga recheada de histórias fascinantes, relações de amor, civilizações perdidas, alianças com outras tribos e escravos negros foragidos, mortes por doenças contra as quais os nativos não tinham qualquer defesa natural, crenças e adoração ao criador e, por fim, o derradeiro encontro com o bom homem branco. Um romance envolvente que confunde realidade e ficção.

Carlos Alberto Campos Ribeiro de Lima nasceu na capital paulista em agosto de 1958. Estudou Arquitetura e Urbanismo na Universidade Mackenzie. Em 1983 mudou-se para a Europa, onde viveu até 1985, entre Inglaterra, Alemanha e Itália. De volta ao Brasil, em 1987 mudou-se para Campos do Jordão (SP), onde viveu até meados de 1996. Seu primeiro livro foi publicado em 2005, Balanço da Alma, coletânea de poemas de sua autoria. Neste mesmo ano iniciou os primeiros ensaios do romance Boirá, concluído em 2012. Em 2010, foi um dos vencedores do Prêmio Off Flip de Literatura, que acontece anualmente no período em que se realiza a FLIP – Feira Literária Internacional de Paraty. Atualmente, o autor vive em São Paulo.

Serviço:

Boirá
Carlos Alberto Ribeiro de Lima

Scortecci Editora
Ficção
ISBN 978-85-366-4080-8
Formato 14 x 21 cm 
368 páginas
1ª edição - 2015

Mais informações:

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home