DOURANDO PÍLULAS / Augusto Cesar / Pedro Neto

A expressão “dourar a pílula” significa apresentar algo que é difícil ou desagradável como uma coisa mais suave e fácil de aceitar. Dizem que nasceu de prática farmacêutica antiga, que consistia em embrulhar pílulas em finos papéis, a fim de preparar psicologicamente a pessoa para engolir um remédio de gosto amargo. É importante frisar que dourar a pílula não é mentir, mas sim adoçar uma verdade amarga.

No entanto, as pílulas douradas que Augusto Cesar e Pedro Neto nos servem neste livro são de outro tipo. Não pretendem mascarar verdades ou forçar-nos a engolir nada de gosto ruim. Ao contrário! Esta obra, que reedita uma parceria que vem de longe entre os dois escritores, nos brinda com pequenos textos, iluminados e iluminadores, sobre as tantas coisas boas (e até as não tão boas) da vida. Poemas que levam o leitor a se emocionar e refletir, pouco a pouco, fazendo nascer um sorriso no rosto e um calorzinho gostoso no coração, como bem mostram os trechos a seguir:

Meu coração solitário
Sem o pulsar do teu
É como um barco sem velas
Num porto de esperas
 (Augusto Cesar)

Tu és o melhor amor do mundo
Começo, meio e fim
A melhor página de mim...
(Pedro Neto)

O amor é uma fada
Que dorme dentro da gente
Que só pode ser despertada
Pelo beijo mais ardente.
(Pedro Neto)

Minha poesia
É um jardim de palavras
Solícitas, contidas, profundas
(Augusto Cesar)

Serviço:

Dourando Pílulas
Augusto Cesar
Pedro Neto

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-4307-6
Formato 14 x 21 cm 
140 páginas
1ª edição - 2015

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home