DISTRAÇÕES / Javier Rapp

Distrações é um livro despretensionso, no melhor sentido que essa palavra possa adquirir. Não se trata de uma obra displicente ou descomprometida. É um texto que se oferece sem empáfia e sem solenidade, que deseja dar prazer e questionar, mas sem teatralidades, sem afetações que queiram fazê-lo parecer o que não é. Não renuncia, no entanto, a certa elaboração formal e menos ainda ao (des)controle da emoção. Tem na capa e no título uma metáfora de sua essência, um acúmulo de rabiscos simples, de traços elementares, mas que para esses artistas “primitivos” representavam a mais alta expressão de seus medos e sonhos, de suas necessidades e aspirações, flertando com o mágico e o sagrado.

Muitas influências se reconhecem neste livro e se distribuem de forma desigual. Não chegamos a encontrar textos à moda deste ou daquele poeta, mas é evidente que, em alguns casos, o autor estava fortemente inspirado pelo recursos estilísticos de um Camões, de um Vinícius, de um Leminki. Aliás, a exploração de antíteses e o gosto pelo humor e o trocadilho são talvez umas das notas mais presentes neste pequeno livro. Embora não se trate aqui de uma poesia predominantemente visual, alguns textos parecem buscar sua força numa fanopéia inspirada num Lorca ou num Albano Martins, artistas profundamente admirados pelo autor. Fernando Pessoa, Verlaine, Baudelaire, Augusto dos Anjos, os irmãos Campos, Caetano Veloso, Antonio Cícero e Arnaldo Antunes são outras forças de quem Javier Rapp se reconhece devedor.

Javier Rapp nasceu em Bariloche, na Argentina, em 1966, filho de um físico e uma artista plástica. Aos dois anos, mudou-se para os Estados Unidos, com mãe e irmã, para acompanhar o pai, que ia desenvolver a sua pesquisa de doutorado, retornando para a sua cidade natal aos cinco. Aos dez, atendendo a um convite do Instituto de Física da UFRJ, seu pai trouxe a familia para o Rio de Janeiro, a fim de se afastar da violência do regime do General Videla e em busca de situação econômica mais favorável. Iniciou os estudos literários na Université de Grenoble III, França, concluindo-os na Faculdade de Letras da UFRJ em 1990. Obteve em 1995 o grau de mestre em Ciência da Literatura pela UFRJ, com a dissertação Sade – As razões do paradoxo. Leitor voraz desde a primeira infância, demorou muito tempo a ver nisso algo além do  imenso prazer que experimentava. No fim da adolescência, começou a rabiscar algumas linhas e a acalentar a possibilidade de dedicar-se à escrita como ofício. Desse momento em diante, sem inteiramente renegar sua vocação, adiou a oportunidade de segui-la, buscando uma expressão ideal, um aperfeiçoamento estético, que talvez não se encontre no horizonte do possível. Muitos dos escassos textos produzidos, que, embora não tivessem a coragem de reclamar publicidade tampouco aceitaram o suicídio, aqui estão – como nasceram ou transformados. Já que o impasse não poderia durar para sempre, decidiu abraçar tanto sua paixão como seus limites e finalmente publicar este primeiro livro, que iniciará a caminhada em busca dessa inatingível utopia estética.

Serviço:

Distrações
Javier Rapp

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-4169-0
Formato 14 x 21 cm 
76 páginas
1ª edição - 2015

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home