A SUPOSIÇÃO DO GATO / João Elias

O escritor e poeta João Elias, amante, dedicado e atuante, da literatura brasileira, traz nesta seleção de contos a sua característica “machadiana”, com a rica descrição das personagens, envolvendo os enredos com fortes aspectos psicológicos e até parapsicológicos, em certos pontos, focados nas experiências humanas, assuntando o cotidiano das pessoas para aguçar a curiosidade e provocar reflexão. Esta ousadia de invadir a privacidade das personagens, maneira tão gostosa e intrigante que nos oferece a literatura, também não deixa de nos presentear com o seu lado docemente poético, indelével.

A sua literatura é carregada de percepções extrassensoriais, apresentadas na obra ora de forma direta, ora indiretamente, e os finais são sempre inusitados, surpreendentes, o que é uma característica de todo bom conto. Ele sublima o amor na essência e transparência da linguagem de qualidades ostensivas, mas com mensagens simpáticas e profundas, que levam ao impacto nem sempre empírico, mas pragmático, reverente, discreto, intenso, num espírito harmônico, quando o olhar atento prova as delícias do terno enlevo e regozija as emoções individuais, uma por uma, e alimenta as nossas carências, e faz beber a alma da sua pura seiva...
Elias Pescador, escritor e poeta

João Elias dos Santos, o escritor e poeta João Elias, nasceu a 18 de novembro de 1940 em Olhos D'Água dos Monteiros, Quebrangulo, próximo a Paulo Jacinto, Alagoas, Brasil, onde viveu a sua infância. Esta era a terra do grande escritor Graciliano Ramos, ambiente que foi base, possivelmente, de livros como Vidas Secas, São Bernardo e outros da autoria de Graciliano. Ainda garoto, mudou-se para a capital Maceió, bairro do Prado, onde cursou até a antiga oitava série. Quando ainda jovem, veio para São Paulo, fixou-se na região noroeste; e viveu no bairro do Moinho Velho (Freguesia do Ó). Depois mudou-se e viveu por muitos anos na Vila Acre, região da Vila Bancária, Jardim Primavera, Santa Marina, Vila Penteado e circunvizinhança. Por fim, findou sua vida no Jardim Rodrigo, região do Jardim Rincão, e Parada de Taipas. Foi casado com Marlene Zanirato, com quem dividiu seus momentos da “vida madura”. Ela o acompanhava nas atividades e premiações literárias, como na UBT (União Brasileira de Trovadores), nas ricas décadas de 1980 e 1990. Foi ela quem cuidou dele na sua enfermidade, pelos longos 7 anos, 9 meses e 11 dias de convalescença. Esse “cuidar” despendeu mais zelo do que se alguém cuidasse de uma criança ou recém-nascido, mas com a diferença que o amor aplicado era realmente como um dia disse o poeta: eterno enquanto durou. Alfaiate de profissão, como se diz “à moda antiga”, trabalhava em casa, com a sua velha máquina de costura, fita métrica ao pescoço, esquadros, tesoura grande e demais instrumentos e acessórios. Teve ele longa e intensa atividade literária. Deixou muitos escritos. Em seus cadernos pessoais encontramos textos datados da década de 1950. A maioria dos contos deste livro data das décadas de 1950 e 1960. A verdadeira batalha para publicação deste livro começou na década de 1980, quando, sob o título original (inicial) de A última das mariposas, manteve arrastado relacionamento com a editora Nova Safra, de Belo Horizonte, Minas Gerais. Nos seus pertences estavam guardados contratos, várias cartas, comunicados e comprovantes de pagamentos. Ao final da história, crê-se que o famigerado “Plano Collor” tenha dado o golpe final no sonho do João; ele entristeceu, desiludiu e calou-se por décadas. João Elias faleceu em 25 de fevereiro de 2014, mas o sonho não morreu, e a vitória é esta que você tem em mãos!

Serviço:

A Suposição do Gato
João Elias

Scortecci Editora
Contos
ISBN 978-85-366-4572-8
Formato 14 x 21 cm 
156 páginas
1ª edição - 2016

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home