NA BOCA DO ESTÔMAGO / Alysson Luiz Freitas

Na boca do estômago é uma compilação de textos publicados em blog nos últimos cinco anos, que tratam de temas variados, sejam eles reflexões sobre política ou Estado, e mesmo análises mais voltadas para as nossas relações com a sociedade e a indústria cultural. Dividido em duas partes, os textos da Parte 1 foram escritos entre os anos de 2011 e 2012, no blog original que eu criara para escrever os meus primeiros textos: Grandeza e um pouco de coragem. Por sua vez, a Parte 2 já engloba textos publicados entre os anos de 2014 e 2016, portanto mais atuais, quando procurei me apoderar da poderosa ferramenta do Facebook, e por isso mesmo, julgando que a lógica da comunicação sofria influências importantes do crescimento das redes sociais, passei a escrever textos um pouco mais curtos, talvez com reflexões mais diretas e objetivas.

Acho que foi um ganho. Em ambos os casos não abandonei o “fazer pensar”, meus chutes no estômago tampouco minhas rejeições e intolerâncias, que vão dos políticos da minha região, passando pela elite política do PSDB e do PT, bem como por Naldo, Valeska e Pedro Bial. Acho que estou comprometido com essas intolerâncias pelo resto da minha vida. Mas me sinto bem, leve e feliz.

“Dirigindo esses dias, vi um cara colocando o seu pau para fora do carro (ou melhor, seu pau de selfie...) e tirando uma foto como se a liberdade o transbordasse. Suas madeixas de cabelos morenos voando, um sorriso de liberdade perturbador (pelo menos para mim...) e aquele pau enorme para fora do carro. Não reparei no seu pau tanto assim, fiquem tranquilos, mas aquilo me perturbou demais. Não sei se por causa do pau (de selfie), do carro em movimento ou do seu rosto jovial e forçadamente feliz (vai ver ele até estava feliz, mas eu não abro mão do fato de que ele forçava a exposição da felicidade, é claro)... Confesso que estou perturbado por esse artefato, que é, à guisa de um adjetivo conclusivo, estupidamente ridículo.”
Texto 43 - Cansei da porra do pau de selfie!

“Temos diagnóstico para tudo. Tudo hoje em dia tem um nome. E sempre há um estudioso de plantão, com algum doutorado embaixo do braço, especialista na recém-criada doença, que é citado pelo médico de plantão naquela consulta ingênua que você foi fazer. Você vai ao médico com um nível de stress razoável e sai de lá com 17 páginas de pedidos de remédios. 10 comprimidos, 4 xaropes e 3 adesivos para usar no seu dia, que, de tanto nome e tanto receituário, te deixam ainda mais estressado!”
Texto 44 - Da tranquilizina ao rigidol

Alysson Luiz Freitas é professor de História na Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes, do Programa de Pós-Graduação em História PPGH – Mestrado – Unimontes, professor das Faculdades Santo Agostinho, onde leciona nos cursos de Arquitetura e Direito, e professor da Rede Privada de Ensino em Montes Claros – MG. Mestre em História pela UFMG e Doutor em História Social pela USP. É autor dos livros No sertão das Minas (Editora Annablume), 1808-2009: Interseções (Editora Annablume/Dix Editorial) e Nossa linda juventude (Editora Unimontes), bem como de diversos artigos publicados em periódicos de circulação regional e nacional.

Serviço:

Na Boca do Estômago
Reflexões Sobre Ele e Sobre Nós
Alysson Luiz Freitas

Scortecci Editora
Literatura
ISBN 978-85-366-4748-7
Formato 14 x 21 cm 
220 páginas
1ª edição - 2016

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home