HISTÓRIA E OS EVANGÉLICOS PENTECOSTAIS NO BRASIL / Prof. Rogerio Mazzini

Uma mistura de História, Sociologia, Teologia, Fé, pesquisas, críticas e experiências. Você sabia que há evangélicos que não sabem até hoje que a existência de sua igreja é originária de um padre e que eles são frutos da Igreja Católica?! Então por que tanta rivalidade entre católicos e evangélicos? Evangélicos no Brasil não são tudo igual, “nem farinha do mesmo saco”. O hábito que se tem de generalizar tudo pode ser perigoso; a falta de conhecimento pode produzir o preconceito. A interminável polêmica dos usos e costumes nas igrejas pentecostais.

Divórcio e novo casamento sem adultério do antigo cônjuge – e aí, o novo casal já está condenado ao inferno? Bastidores de igrejas, o que acontece e você não fica sabendo… O pastor bom e o pastor porcaria, qual a diferença? Por que a sociedade mistura tudo? Denúncias contra o farisaísmo dentro de algumas igrejas e suas contradições. Tragédias psicológicas e vidas destruídas por causa de líderes irresponsavelmente despreparados nos púlpitos de igrejas. Afinal, por que tanta rivalidade entre a Ciência e a Fé? Vamos refletir: Fé e Religião são a mesma coisa? Uma crítica ao preconceito religioso. Conflitos religiosos (entre religiões e entre os próprios evangélicos). Isso e muito mais… Apertem os cintos e boa leitura!

A História estuda a vida humana através do tempo, estuda o que os homens fizeram, pensaram ou sentiram enquanto seres sociais. Nesse sentido, o conhecimento histórico alarga a compreensão do homem enquanto ser que constrói. E a reflexão histórica nos ajuda a compreender o que podemos ser e fazer. Fernand Braudel escreveu que “História é a ciência do passado e do presente, um e outro inseparáveis”. Certamente ele quis dizer isso no sentido de que não existe uma ruptura entre presente e passado. Podemos dizer que estudar História é adquirir consciência da trajetória humana. Consciência do que fomos para transformar o que somos. Dessa vez, a História, aliada à Sociologia e à Teologia, irá nos fazer refletir sobre o conceito de Religião.

O homem, um ser complexo como é, nos intriga por ser apaixonadamente místico e, ao longo da História, demonstrar a sua ansiosa predisposição em crer no sobrenatural. Por isso, na Antiguidade, as pessoas cultuavam o trovão, o relâmpago, a chuva, o Sol e a Lua. Eram considerados deuses que vigiavam as pessoas dia e noite. Como havia um deus para cada atividade e cada fenômeno, essas religiões acabaram sendo chamadas de politeístas, porque acreditavam em muitos deuses. Mas daí surgem os hebreus, povo que é apontado pela História e Teologia como responsável por introduzir o monoteísmo no mundo.

Durante o Império Romano surge um personagem histórico fascinante chamado Jesus Cristo. Após sua ascensão aos céus, seus discípulos dão início a uma religião que vai sacudir o mundo. No Século XVI essa religião, denominada Cristianismo, vai apresentar uma cisão, surgindo uma ramificação chamada Protestantismo, que futuramente vai resultar em um outro fenômeno histórico chamado Pentecostalismo... A partir daí vamos compreender essa ramificação do protestantismo no Brasil...

O Prof. Rogerio Mazzini é professor de História na rede pública e particular de ensino em São Paulo (SP), sendo também formado em Teologia.

Serviço:

História e os Evangélicos Pentecostais no Brasil
Alegrias e Decepções
Prof. Rogerio Mazzini

Scortecci Editora
História
ISBN 978-85-366-4862-0
Formato 14 x 21 cm 
104 páginas
1ª edição - 2016

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home