DEUSES EM DESUSO / Eloésio Paulo

Neste Deuses em desuso você vai encontrar uma sequência de poemas que são “erratas” do autor, naquele sentido que Brás Cubas deu à palavra. Poeta em constante diálogo com a tradição, Eloésio reelabora a própria escrita há mais de três décadas. Cada livro seu é um novo capítulo do livro definitivo, que por enquanto se chamará Teogolipse, amálgama greco-bíblico de palavras que remetem ao nascimento e à morte – não apenas do indivíduo, mas da própria humanidade.

A recolha feita aqui é econômica, mas nunca rarefeita: dos poemas longos aos curtíssimos, repropõe mais uma vez a escrita poética do autor, feita mais de pausas e desvios do que de raciocínios lineares. Eloésio é um lírico fincado na experiência pessoal, mas ao mesmo tempo administra um impulso que é tão épico quanto político: reconstruir a ponte entre a poesia e seus leitores possíveis e ajudar a convencê-los de que a felicidade não será nunca encontrada na domesticação.
Saul Bardot

AUTOBIOGRAFIA

Queriam porque queriam
uma nova versão do Apocalipse
que sempre faz muito sucesso

Mas primeiro eu estava
esgravatando um bicho-de-pé
com a ponta do canivete

depois tinha a encomenda
de fabricar 20 mil
flautinhas de talo de mamona

Aí fui traduzir
a melancolia de um bezerro
e virei bezerro também

Mineiro de Areado, Eloésio Paulo nasceu em 1965 e começou sua vida profissional com 18 anos trabalhando no jornalismo. Mais tarde, tornou-se professor de Literatura e Redação em pré-vestibulares e cursou, na Unicamp, mestrado e doutorado em Letras. Além de colaborar com O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde e O Globo, publicou livros de crítica literária e as coletâneas de poemas Canguru (1990), Primeiras palavras do mamute degelado (2000), Cogumelos do mais ou menos (2005), Inferno de bolso etc. (2007), Jornal para eremitas (2012) e Homo hereticus (2013). É também autor do livro de poemas para crianças Parque de impressões e colaborador frequente do Suplemento Literário de Minas Gerais. Desde 2006, trabalha como professor da Universidade Federal de Alfenas. Sobre o poeta, escreveu Luiz Ruffato: “Sem dúvida, Eloésio Paulo é, atualmente, um dos maiores conhecedores da arte poética”.
Samuel Rezende

Serviço:

Deuses Em Desuso
Eloésio Paulo

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-4942-9
Formato 14 x 21 cm 
72 páginas
1ª edição - 2016

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home