NÃO SEI SE VOU TE AMAR / Mirian de Carvalho

Ideais. Fantasias. Descompassos e regozijo do corpo e do sentimento. Vertigem. Assim, na vida. E no amor. Das oscilações vivenciadas na pele e no ânimo, tudo tudo já foi registrado por poetas e amantes. Sem nada mais a dizer sobre o tema, em Não sei se vou te amar, meus versos percorreram imagens dos amores dos outros. Como se tais amores fossem meus, visitei canções, filmes, poemas, roupas, memórias, relatos, objetos, cenas e outras expressões de contentamento e tristeza que, por vezes, valendo-me da ironia, misturei nos meus versos: Se vieres apenas pra se despedir, / guarda tua viagem. Preserva teus sapatos. / Avesso ao amor e ao desamor, antes do começo / ou do fim, alonga-se e desgasta-se o tempo. Junto ao lirismo, encontrei espécie de drama a percorrer lugares íntimos: Das chaves girando, tudo espero. / Das mãos abrindo a porta, tudo espero. // Ao fundo, um tango. A esse fundo musical, escrever se fez dança apaixonada. E sala vazia à espera do verso.
Mirian de Carvalho

Não sei se vou te amar é título que leva dúvida. Mirian de Carvalho sabe bem disso e foi isso que quis expressar. No território do amar, a única coisa certeira é que são muitas as incertezas. A começar pela indagação: para sempre? Se se quiser resposta, ei-la: “Bastam-me as reticências do desejo”. São tantos os amores, mas nos poemas de Mirian a concentração é no sensual, físico, entre pessoas. O erótico ocupa lugar muito importante na sua obra; sua poesia é plena de imagens, que na sua linguagem particular traduzem isso diretamente, valendo-se de camaleões, pássaros, cavalos, flores, conchas... Mas nem tudo é dúvida, porque é possível reafirmar, com Manuel Bandeira, que “os corpos se entendem”. Então, Mirian diz “Em meu corpo, / bem-vinda a mão que o possa acariciar”. As revelações amorosas estão na música, no cinema e na vida. Então, Mirian conversa com Chico Buarque de Holanda (“E quero / mais ainda o meu Neruda”) e Pedro Almodóvar (“Ata-me”), por exemplo. E revisita-se na sua produção poética, sensível e arrebatadora, plena de significações amorosas, reunida nos seguintes livros: Cantos do Visitante (Edição da Autora, 1999), Teia dos Labirintos (Escrituras, 2004), O Camaleão no Jardim (Quaisquer, 2005), Travessias (Letras Contemporâneas, 2006), Violinos de Barro (Escrituras, 2009), Nada Mais que Isto (Scortecci, 2011), 50 Poemas Escolhidos pelo Autor (Galo Branco, 2011), Roteiro de Mitavaí (Oficina do Livro, 2013) e Vazadouro (Escrituras, 2013).
Valdir Rocha

Mirian de Carvalho é destacada e dedicada poeta, com trajetória devidamente reconhecida, inclusive por diversos prêmios literários. Seus poemas estão reunidos em vários livros. Em geral, esses livros têm a marca singular da abordagem nuclear dos temas que encerram e distinguem a criação tão bem estruturada, sensível e arrebatadora de seus poemas. Sua obra poética é objeto de diversos comentários, apresentações e estudos assinados por críticos literários e poetas. É de se lembrar também que Mirian de Carvalho defendeu Tese de Doutorado em Filosofia, lecionou Estética nos Programas de Gradua-ção e de Pós-Graduação da UFRJ e continua a dedicar-se, além da poesia, à crônica e à pesquisa no campo da cultura brasileira. É membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte, da União Brasileira de Escritores/RJ e SP e do PEN Clube. Além de sete livros de ensaio, publicou cerca de 150 textos, entre artigos, prefácios e posfácios, em veículos especializados. A autora assina o Blog da Mirian no Digestivo Cultural.
Marola Omartem

Mirian de Carvalho defendeu Tese de Doutorado em Filosofia. Lecionou Estética nos Programas de Graduação e de Pós-Graduação da UFRJ. É membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte; da Associação Internacional de Críticos de Arte; da UBE / RJ e SP e do PEN Club. Nos dias atuais, dedica-se à poesia, à crônica e à pesquisa no campo da cultura brasileira e foi agraciada com vários prêmios literários, entre eles O João do Rio (1º lugar / poesia) e a Medalha José de Anchieta, que lhe foram conferidos pela Academia Carioca de Letras em dezembro de 2016. Além de assinar 7 livros de ensaio e 10 de poesia, é autora de cerca de 150 textos que se diversificam em artigos, ensaios, prefácios, posfácios e releases, publicados em mídias especializadas. A autora assina o Blog da Mirian, no Digestivo Cultural. Livros de poesia:

Cantos do Visitante. Edição da Autora, 1999
Teia dos Labirintos. Ed. Escrituras, 2004.
O Camaleão no Jardim. Ed. Quaisquer, 2005
Travessias. Ed. Letras Contemporâneas, 2006.
Violinos de Barro. Ed. Escrituras, 2009.
Nada mais que isto. Ed. Scortecci, 2011
50 Poemas escolhidos pelo autor. Ed. Galo Branco, 2011
Roteiro de Mitavaí. Ed. Oficina do Livro, 2013.
Vazadouro. Ed. Escrituras, 2013.
Não sei se vou te amar. Ed. Scortecci, 2016

Serviço:

Não Sei Se Vou Te Amar
Mirian De Carvalho

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-5004-3
Formato 14 x 21 cm
92 páginas
1ª edição - 2017

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home