Receba nossa Newsletter: Nome Email

VIDAS QUE SE CRUZAM EM DIÁRIOS E DITADURAS / Francisco de Assis Resende

Estamos no período que compreende a segunda metade da década de 1960 e a primeira metade da década de 1970. O texto relata as convicções do autor como religioso camiliano e padre sobre os rumos que previa para que fossem colocadas em prática na Igreja Católica as diretrizes do Concílio Vaticano II, seu percurso de desligamento do clero (laicização) e a construção de uma família, sem nunca abandonar a luta pelos seus ideais. Para contar essa história, o autor apresenta seu diário de seminarista, o diário de sua futura esposa, Rosa Maria Dôgo de Resende, os documentos do processo de laicização e um texto produzido juntamente com sua esposa sobre o papel da mulher na Bíblia. O objetivo é mostrar que existe para a Igreja Católica a necessidade de dar uns passos à frente, com uma nova disciplina e uma casa mais arejada, onde a pessoa de Jesus seja evidenciada.

Nas décadas de 1960 e 1970, logo após o Concílio Vaticano II, convocado pelo Papa João XXIII, fatos deram a Francisco de Assis Resende a percepção de que grande parte do episcopado brasileiro estava propensa a acompanhar a volta ao passado sugerida pela cúria romana, e não as propostas inovadoras do Concílio. Então ele decide se desligar do clero e da Ordem dos Ministros dos Enfermos, conhecidos como padres camilianos. O desligamento do clero e da vida religiosa se chama processo de laicização. Ao sair do clero, Francisco toma a decisão de se casar.
Neste texto, o autor contextualiza o momento em que vivia, servindo-se de dois diários – o dele e o de sua futura esposa Rosa Maria Dôgo de Resende, ambos das décadas de 1960 e 1970 – e dos documentos do seu processo de laicização, ocorrido no mesmo período. Seu diário de estudante, ele o conservava. O diário de Rosa veio cair em suas mãos após a morte dela, em 16 de julho de 2010. Com Rosa, participou da fundação do MFPC (Movimento das Famílias de Padres Casados). Este movimento se iniciou com um grupo de São Paulo em 1977, que promoveu o primeiro encontro nacional em Nova Iguaçu (RJ), em 28 e 29 de julho de 1979. Com Rosa, sempre se preocupou com nossa condição de católicos e com o papel que a mulher deve ter na instituição. Nesse sentido, Francisco apresenta também um texto produzido para o Encontro das Famílias de Padres Casados, em Ribeirão Preto (SP), de 13 a 17 de janeiro de 2010.

Serviço:

Vidas Que Se Cruzam em Diários e Ditaduras
Processo de Laicização de um Padre Camiliano
Francisco de Assis Resende
Scortecci Editora
História
ISBN 978-85-366-4982-5
Formato 14 x 21 cm 
276 páginas
1ª edição - 2017

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home