LINHAS PARES / Claudia Quintana

Eu, Claudia Quintana, o caminho do meio de Ana Claudia de Lima Quintana Arantes, sou mulher feita de poesia. Já passando da minha primeira metade de vida, nasci mesmo há bem pouco tempo, depois de perceber que a vida só precisa fazer sentido do lado de dentro. E do lado de dentro, sou poesia. Nas horas vagas sou médica, e muitas vezes chego a pôr em receituário as orientações de tratamento complementar de poesia para meus pacientes. E como isso funciona!! Assim, nos pensamentos vagueantes das reflexões sobre a vida e a morte, fui desenhando meu próprio horizonte de letras combinadas com roupa de domingo: a poesia. Olhando para as dores de alma, para os medos humanos e desumanos, para a coragem da fragilidade e para o reencontro do amor pela vida, é que me engravido de versos e vou parindo a poesia pelos dias feitos de dias. Espero que vocês gostem dos pares de linhas que deixo de presente por aqui, nesta existência tão breve. Se existo, é porque alguém me vê, e só escrevo porque alguém me lê.

As palavras encontram seu poder quando chegam ao lugar em que devem estar. E podem ser carinhos. De longe, os dedos escolhem as letras para versos ou prosas, mas é na pele que esses toques descobrem o que querem dizer. As palavras podem tocar a pele de leve, dando arrepios. Podem aquecer o peito e despertar um sorriso esquecido. Podem ser massagem relaxante ou um susto. Mas existem palavras que transformam de tal forma que a pele troca e nós nunca mais seremos os mesmos depois de sermos tocados por estas letras sagradas que, mesmo em silêncios, abraçam. E estas linhas que meus dedos percorrem nunca mais estarão sozinhas. Linhas Pares, que meus versos te acariciem.

Palavras Flores - Num silêncio interno, o pensamento está presente, mas não é possível percebê-lo, pois as palavras, que antes se espremiam na saída da mente, agora se aquietam e esperam serenamente pelo momento certo de nascer. Palavras, quando nascem no momento certo, viram as palavras escolhidas pela poesia e florescem. Queria aprender a plantar Palavras Flores. Se o desafio maior é estar presente no intervalo entre nascer e morrer, ser capaz de estar na quietude entre um movimento e outro, vamos então meditando poemas. Só a poesia permite palavras em estado meditativo.
Claudia Quintana

Serviço:

Linhas Pares
Claudia Quintana

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-5050-0
Formato 14 x 21 cm 
108 páginas
2ª edição - 2017

Mais informações:

Catálogo de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home