A ARTE DA PERFUMARIA / G. W. Septimus Piesse

Piesse viveu no século XIX, antes de haver eletricidade nas casas, rádios, toca discos, cinema e televisão. Em troca, tinha mais tempo de convívio com seus familiares. Os carros eram puxados a cavalo, os navios tocados a vapor e os aviões ainda não roncavam no céu. Revolução Industrial, o Império Britânico estava orgulhoso de suas conquistas. No meio do século, foi erguido o Crystal Palace, uma edificação enorme, toda em vidro, para uma exposição que trazia produtos de todos os cantos do Império e representações de todas as indústrias: The Great Exhibition, de 1851. Nesta exposição, os olhos de Piesse viram tantas possibilidades, tantas condições de progresso em sua arte: se os ingleses plantassem mais flores, se pudessem colher mais aromas de países do Império onde o clima fosse favorável, se iniciassem o plantio na Austrália, onde seus irmãos tinham propriedades e exerciam cargos de importância política.

Mesmo depois da morte de seu irmão, Piesse continuou sonhando com as fazendas de plantação de flores no continente australiano. As condições de trabalho eram bem diferentes, principalmente as técnicas de extração de perfume das flores, folhas, cascas e resinas que o perfumista utilizava. Confecção de sabonetes, talcos, vinagres, pastilhas, brilhantinas, águas e loções, na época em que perfume era mais usado no lenço, para ser levado ao nariz de vez em quando e disfarçar o odor do ambiente, ou nas luvas, no couro das bolsas e sapatos, para encobrir seu próprio odor, cassolettes de marfim com perfumes sólidos, todos elaborados com matéria-prima inteiramente natural. Perfumes que levavam almíscar, civet, âmbar gris, jasmim de Grasse, rosas da Bulgária, lavanda da Inglaterra. Em seus estudos diversos, Piesse encontrou relação entre os sons e os perfumes, e começou a falar em tonalidades, harmonias, acordes e notas. Inventou o ODOPHONE, um instrumento perfumístico em que se pode compor acordes para construir perfumes, em harmonia. Seu trabalho sempre estará permeado em meus trabalhos, suas mágicas sempre me serão familiares, seus conselhos e receitas sempre guiarão minhas composições e espero que suas ideias sejam perpetuadas aqui também.
Ane Walsh

Um sonhador! Sim, mas também um homem responsável, com uma grande família, cheio de energia, uma pessoa afetiva, que adora seus filhos e esposa, uma pessoa alegre, que gosta de ser a atração da festa, que vive cercado de crianças as quais faz de tudo para agradar, um homem inventivo, um grande perfumista, que nas horas de lazer faz mágicas! Um homem moderno, de grandes ideais evolucionistas. Pouco se sabe dele como pessoa, e provavelmente não deve existir alguma biografia mais completa sobre essa importante personagem da história da perfumaria. Foi Piesse o autor de um livro consultado e amado por todos os perfumistas, principalmente os que usam material botânico na composição de seus perfumes, A Arte da Perfumaria – métodos de obter aromas das plantas, livro que se encontra facilmente nas estantes da internet para quem dele precisar.
Pesos e Medidas:
Bushel = 8 galões
CWT (one hundred weight) = cem libras
Drachm (dram) dry = 60 grains = 1/8 oz = 3,54375 g
Drachm fluid = 3,552 ml
Gallon = 4 quarts = 8 pints = 4,546 l = 4546 ml
Ounce(oz) = 28,35 g
Ounce fluid (fl oz) = 28,41 ml
Pint = 20 fl oz = 0,568 l = 568 ml
Quart = 2 pints
Atenção: estas medidas sofrem alterações nos EUA, mas o livro foi escrito por um britânico, por isso coloquei as medidas que ele usou.
Temperatura
Para converter °F em °C  
°F - 32 x 5/9             
Para converter °C em °F           
°C x 9/5 + 32

Serviço:

A Arte da Perfumaria
Métodos Para Obter Aroma das Plantas
G. W. Septimus Piesse

Scortecci Editora
Cosméticos
ISBN 978-85-366-2793-9
Formato 14 x 21 cm 
100 páginas
5ª edição - 2017

Mais informações:

Catálogo de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home