QUANDO O SUCESSO ATRAPALHA / Dias de Cordel

Qualquer sucesso é legal mas se alguém exagerar, sem dúvida, vai se dar mal se o bestunto atafulhar, pondo tudo em polvorosa o sucesso não se entrosa e só tende a atrapalhar...

A MULHER ‘DÁ’ CONFUSÃO

A mulher chegou no inferno/E o diabo perdeu a ação
Tudo agora está moderno/Novela e mais discussão
Todo tipo de esperteza/Contanto que haja riqueza
Mas o diabo disse: não!

Não existe mais caldeira/Nem cozinha, pra que ela
Ponha o capeta em canseira/Pra dar uma escapadela
Visto que o diabo fugiu/Não aguentou mais, sumiu
De um inferno de novela.

Vendo esse inferno de agora/Comandado por mulher
O capetão se apavora,/Sem destino, e foge a pé
Tresloucado e com sequela/Sai do inferno, de novela,
Pois o trono é da mulher.

ANONIMATO

Esqueçam que eu existi/Que passei por esse tempo
Mas leiam o que escrevi/Entrelinhas e entretempo
Lembrando que sou um velho/Desligado do evangelho
Por causa de um contratempo.

Sei que sou um forasteiro/A vagar por esse mundo
Como um andante altaneiro/Que jamais foi vagabundo
Sou ligado na harmonia/Contrário à hipocrisia
E o meu trabalho é fecundo.

Não desgrudo, estou atento/Querendo, sem dúvida, ter
Muito mais discernimento/Pra não me comprometer,
Urge que eu seja esquecido/Porque fui um preterido
Sem propósito e sem querer.

DIZER O QUE QUER,
SEM PENSAR

Há quem diga o que não quer
Ouvir, outro alguém dizer
Se educação não houver
Alguém põe tudo a perder
Ganhando o mais desonesto
Porque se atém ao protesto
Que se faz prevalecer.

Assim se traduz a vida
Na exibição do momento
Gerando em contrapartida
Total descontentamento
Porque modéstia e respeito
Faltam sempre e desse jeito
Adeus, bom comportamento.

Mas isso já virou moda
E haja mais contradição
Como está girando a ‘roda’
Em baixa na educação
Vai-se embora a gentileza
Ficando a indelicadeza
Que evolui, na contramão.

HAJA TEMPO PRA ENTENDER

Esse tempo faz que passa
E eu, no tempo, vou passando
Sei que o tempo é de ameaça
Que no tempo está ‘grassando’
Sem que, a tempo, vá sumir
Pois se o mau tempo insistir
Haja tempo atrapalhando...

E em tempo de paciência
Eu tento, o tempo, entender
Só que há tempo sem clemência
Sem tempo de se antever
Que esse tempo está mudado
Pois um tempo amalucado
Pôs o meu tempo, a perder.

Se houver quem o tempo entenda
Tendo um tempo pra fazer
Desse tempo, a sua agenda
Se o tempo corresponder
Porque, é claro, o tempo fica
Sem dar tempo a quem me explica
Que o tempo, posso entender.

HAJA RECEIO

Um poeta tem receio
Do receio mencionar
Quem receia terá meio
Para o receio aumentar
E quem recear, também
Receando até faz bem
Pro receio acrescentar.

Você quer e está prevendo
Que a mulher queira aceitar
Só que ela quer, não querendo
Ou seja: quer, mas não dá
E se houver mais persuasão
Quem quiser ir ‘contramão’
Sem dúvida, pode estragar.

Se houver receio de cá
Ela não vai te entender
Pode até querer ‘ficar’
Mas receia se envolver
E fica em um vai não vai
Até que o querer se esvai
Porque há receio em você.

Serviço:

Quando o Sucesso Atrapalha
Dias de Cordel

Scortecci Editora
Ficção
ISBN 978-85-366-5319-8
Formato 14 x 21 cm  
64 páginas
1ª edição - 2017

Mais informações:

Catálogo de Publicações


Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home