Receba nossa Newsletter: Nome Email

PULSARES / J. Cordeirovich

Pulsares - Cênicos e Poéticos, reúne em sua primeira parte, quatro textos para teatro de comédia, resultantes das montagens feitas pelo autor ao longo de sua caminhada profissional como educador junto a grupos amadores em diferentes momentos de seu trabalho social destinado a pessoas de classes menos favorecida. São comédias leves e acessíveis a qualquer faixa etária após a infância, pois não tanto por sua trama, a ênfase é dada as personagens e suas "loucuras" que vão sendo reveladas durante a encenação. Na segunda parte do livro, o autor publica seus primeiros textos poéticos, colhidos de sua juventude e registrados pela primeira vez nos anos noventa em outra edição. Esta parte do livro é ricamente ilustrada com obras de Elsio Ferrari, Glen Martins e Luiz Carlos Afonso, que também fez a arte final do livro.Pulsares, Cênicos e Poéticos é o seu terceiro livro pela Scortecci que tem ainda do mesmo autor "Baú de Qualquer Coisa" e "O Arranjador de Palavras".

E... vamos tomar umas? Esse livro pra mim é um presente, um pretérito
mais que perfeito, um
futuro pulsando! É como
transformar todo incômodo em arte, razão de viver e da amizade
e de tentar ser feliz. Cordeirovich
é humor descompromissado,
é brincadeira manhã, é poesia
e prosa, é existencialismo. Suas palavras, seus gestos no palco,
sua voz negra que são todos os Cordeiros num só, inconfundível voz que nos leva a bailar/brilhar
nas suas palavras “pérolas”. Cordeirovich adora inventar...
“de como as negras do alabama chegaram ao brasil de barco”... Reflexão Nenhuma, Instante...

O velho Vieira apocrifamente lançou uma suspeição: “o corpo veio antes da alma”, depois o Velho Platão, outra suspeição: “o estômago da alma é a memória”, em ambas suspeitas: o pulsar e a inquietude. Da obra que agora se apresenta: Pulsares Cênicos & Poéticos, o percurso da memória traz à tona a grandiosidade de todos que trilharam nessa paixão que nos move até hoje: a arte! O trivial e o banal, e o que há de essencial no trivial e no banal, dessas preciosas coisas? Se traduzirem na arte e no ofício deste autor, traz à cena o conjunto de seus achados, traduz o banal, o trivial e a necessária poesia. A sua coesão com todod os trabalhos e o dedo em riste a favor da arte, sim, é o dedo em riste de J. Cordeirovich que sabe transitar em todos os enredos, é farsante em busca de uma farsa perfeita. Bem-vindos á farsa Cordeirovich Ato Zero: da coxia à poesia.
Célio Antonio Manso

J.Cordeirovich, nasceu nos anos cinquenta e cinco na cidade de Itabuna-Bahia e pequenino migrou para São Paulo em sessenta e quatro. Em São Paulo, faz seu curso primário e convive com pessoas voltadas para as artes desde a adolescência. O teatro e a música logo começam a fazer parte de sua vida de maneira amadora mas com muita determinação. Tanto que ele sempre conviveu com grupos amadores pela periferia da cidade e desde os anos oitenta com parcerias musicais. Fez um curso superior em Letras e uma pós em Psicopedagogia. Solteiro por opção, costuma dizer que "as palavras" são suas grandes companheiras. É nelas que ele expõe suas alegrias e tristezas, transformando-as em literatura e suas diversas formas de expressão: letras para composição musical, teatro e poesias.

Serviço:

Pulsares
Cênicos e Poéticos
J. Cordeirovich

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-5167-5
Formato 14 x 21 cm 
168 páginas
1ª edição - 2018

Mais informações:

Catálogo de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home