Receba nossa Newsletter: Nome Email

TROVADIAS / Dias de Cordel

Quaisquer Dias eu os quero
Como meus Dias de ação
Não, Dias que os considero
Serem Dias contramão...

Sei que há Dias sem clemência
Em Dias que os posso ter
Mas Dias de dependência?
São Dias pra se esquecer.

Não vou temer o Michel
Por ele ser Presidente
Mas sim como bacharel
De um Brasil polivalente.

Ela ‘esteve’ em minha vida
Como tudo o que é legal
Mas não ganhei a ‘corrida’
Por causa do vendaval...

Sou Dias corintiano
Em Dias de botequim
Mas não sou Dias baiano
Nem Dias tupiniquim...

Quem for Dias de Cordel
Sem Dias de concordância
Será Dias menestrel
Mas sem Dias de arrogância.

Passo os Dias escrevendo
Sem Dias de leviandade
E os meus Dias, vou vivendo
Com mais Dias de amizade.

Há Dias que são pra nada
Ou Dias só pra fadiga
Com Dias de trapalhada
E em Dias com mais intriga.

Quanto mais Dias sozinho
Sem Dias pra acontecer
Que um Dias seja adivinho
Pra quaisquer Dias, saber.

Mulher tem mundé armado
E engana qualquer capeta
Tudo dela é programado
Em tudo quanto é faceta.

Gostei muito da docente
E até hoje eu penso nela
Só que eu era pretendente
De um nível, aquém do dela.

Sonhos não envelhecem

Por que não posso sonhar
Pelo menos um pouquinho?
Meus sonhos podem mudar
No meio desse caminho
Sonhando passo a pinguela
Sendo dentuço ou banguela
Mesmo havendo burburinho.

Um sonho não envelhece
Nem vai ficar esquecido
Meu sonho, claro, acontece
Sem que seja presumido
E pra ele, eu darei trela
Posso sonhar sem ‘sequela’
Pois sonhar é permitido.

E eu sonho com paciência
Pois sonhar me faz saber
Que o sonho é minha querência
E sonhando eu quero ‘ver’
Porque que o sonho acontece
Só que alguém, do sonho, esquece
Sonhar, me ajuda a viver.

Melhor chegar tarde...

Com vida metodizada
Eu sou um cidadão sério
Respeito a palavra dada
E até condeno impropério
Minha crença assim se embasa
Melhor chegar tarde em casa
Do que cedo, ao ‘sumitério’.

O surgimento da vida
Está envolto em mistério
Mas há, em contrapartida
Nesse Universo, um critério
Normalizante, que apraza
Melhor chegar tarde em casa
Do que cedo, ao ‘sumitério’.

Sem dúvida, a Filosofia
Que transcende o Planisfério
Concorda, e a mente avalia
Até mesmo que adultério
É qualquer coisa que abrasa
Melhor chegar tarde em casa
Do que cedo, ao ‘sumitério’.

Irmãos Trinity

Que dupla mais engraçada
Em qualquer filme rodado
No velho Oeste selvagem
Tendo um Colt do seu lado
Para um destro e outro canhoto
Com duplo significado
Irmãos a favor da Lei
Em tudo e, de cabo a rabo,
Visto que um era a direita
E o outro a esquerda, do diabo.

Trinity é um comediante
Do faroeste ‘endeusado’
Se o diabo quiser um sócio
Cada um vai ser lembrado
Tendo em vista a rapidez
De um gatilho ‘endemoniado’
Só que em condições legais,
Se houver um ‘arranca-rabo’
Visto que um era a direita
E o outro a esquerda, do diabo.

No Oeste se tornou lenda
E esse estilo é consagrado
Com cenas bem divertidas
Onde há humor comprovado
Sem censura, é permitido
Pra quem achar engraçado
Sem dúvida que é fascinante
Um gatilho ‘eletrizado’
Visto que um era a direita
E o outro a esquerda, do diabo.

Serviço:

Trovadias
Dias de Cordel

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-5605-2
Formato 14 x 21 cm 
72 páginas
1ª edição - 2018

Mais informações:

Catálogo de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home