POEMAÇÕES / João Gomes da Silveira

Em seu décimo primeiro livro – mais um de poemas –, João Gomes da Silveira apresenta-nos uma obra com a seguinte arquitetura: 45 sonetos na primeira parte, 15 sonetilhos (versos com métrica menor que de eneassílabos) na segunda e, alternadamente, na terceira parte do opúsculo, 15 rondéis e 15 indrisos. Trabalho eclético, que vai do lírico ao mais genérico; ou seja, obra de temática bem diversificada, a fim de adequar-se à multiplicidade de gostos do leitor de poesia. E por que Poemações? É ele que nos conta: “Minha filha, ainda criança, vendo-me à mesa, a rabiscar algo, me pergunta: – Pai, tá fazendo aí umas poemações? Criança também cria neologismos”.

[...] apesar dos modismos do modismo, / o soneto resiste, aos nossos dias. // E aos estilos das eras, com lirismo, / sobrevive e mantém as galhardias [...].

João Gomes da Silveira abre seu novo livro com o soneto intitulado “Traços feminis”, do qual os versos acima foram extraídos. Mais que justificativa do apreço desse cearense simpático e de convicções fortes por aquela que é uma das mais bem reputadas formas de poesia, seu texto inaugural apenas reforça aquilo que todos já sabemos: os clássicos nunca saem de moda. Assim como não saem de moda determinados temas, como o amor e o ser amado, a busca por um mundo melhor, para citar apenas dois que encontraremos em Poemações. Em sonetos, sonetilhos, rondéis e indrisos, João mostra sua habilidade de artesão de palavras e ideias, sem que as formas fixas escolhidas por ele para discorrer sobre temas que lhe são caros configurem uma camisa de força, como costuma acontecer com certos autores que pensam que, para compor um rondel ou um soneto, basta seguir uma “receitinha de bolo”. Fosse assim, todos seríamos escritores... Sim, há uma receita, um passo a passo, mas eles de nada valem se não houver escolha criteriosa de ingredientes e se a execução for meramente mecânica. Sempre digo que, não importa o que se escreva (poesia, romance, ensaio, biografia ou outro), é fundamental que se misture à tinta o mais se que puder de alma, porque afinal de contas todo e qualquer texto representa uma possibilidade de diálogo e é preciso prestar atenção e cuidar do outro com quem queremos estabelecer tal relação. E isso João faz com perfeição: além da diversidade temática, encontramos também diversidade de tons, do solene ao informal (quase que travesso, eu diria), porque poesia pressupõe comunhão de energia e a vida se encarrega de fazer-nos sempre diferentes, ainda que em essência os mesmos, a cada novo dia.
Paola Mariz

João Gomes da Silveira nasceu no sítio Canadá, município de Redenção (CE) e foi registrado em Maranguape, terra do historiador Capistrano de Abreu e do humorista Chico Anysio. É pós-graduado em Língua Portuguesa. Já tem dez livros publicados, metade deles de poesia.
Contatos com autor
jgs.ce@hotmail.com

Serviço:

Poemações
João Gomes da Silveira

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-5682-3
Formato 14 x 21 cm 
92 páginas
1ª edição - 2018

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home