AFORISMOS, MEMÓRIAS, REFLEXÕES, SOBRE O EDUCAR / Irineu Xavier Cotrim

Este livro inclui questões teóricas e práticas que convidam à reflexão sobre a educação, tanto a familiar quanto a escolar, diante das mudanças de valores, com a materialização cada vez mais forte dos valores sociais e o individualismo crescente, que leva a grande maioria das pessoas ao caos inconsequente, sem autoestima e sem compromisso com os valores morais e espirituais. O individualismo criou nas pessoas a ideia de futuro. O presente que constrói o passado está sem ser vivido. Ao não vivenciar o presente, o futuro esperado não será vivido nem compreendido. O futuro, quando virar presente, sem passado vivido, será presente deprimido e vazio de passado. Viver é compartilhar o presente, este sim, o melhor presente! O preço não é de mercado, é barato, custa apenas a presença de um abraço.

Quem vai ler este livro? Quando o escrevente escreve, o faz por necessidade. A escrita é um lavar da alma: ficamos satisfeitos com a importância da escrita em nossa caminhada, funciona muito bem como terapia. A leitura é uma forma de libertação do homem e de permitir-lhe acesso, não importa quão humilde seja sua origem, ao universo do saber e da cultura. Um convite à felicidade pelas coisas mais simples. Um desafio ao espírito crítico que jaz adormecido em cada pessoa. Uma conversa plena de amor pelo semelhante. Toda boa leitura de um livro que possa nos interessar faz atravessar as paredes do tempo, refletir sobre o sentido da vida, humaniza-nos e nos faz crescer nos mistérios que nos inundam. Segundo Sócrates, a liberdade é a noção do que é realmente necessário à vida do homem, a sabedoria. A famosa frase “conhece-te a ti mesmo” demonstra a clara opção de Sócrates pelo ser humano e suas peculiaridades. Os sábios educam pelo exemplo e nada há que avassale o espírito humano mais suave e profundamente que o exemplo.

Como professor de História, Irineu Xavier Cotrim buscou na participação dos alunos o sentido; Educação. E o que pensa que é?  O que sei, ou imagino saber, é: a ciência de Deus é a caridade, a generosidade, a compaixão; três palavras que definem o amor. Sou o verso do meu reverso. Sou as escolas em que fui matriculado. Professoras que amei e outras que odiei. Me encanta, desencanta e apavora o múltiplo estranho que reside em mim: um dia me assusta, no outro me fascina. Quanto mais fujo de mim, mais me perco nos labirintos da minha prisão. As lendas que ouvia na meninice que os mais velhos, sensíveis, contavam. Os insensíveis guardavam. Sou também a soma dos livros que li, dos estudos que acumulei. Os amigos que cultivei e guardei porque se fizeram acreditar e os que passaram sem eu acreditar. Eles subtraíram por não aprender ao amor somar nem multiplicar.  Os romances que me cativaram e de prazer me fizeram crescer. Após o livro lido, fechado, sentia abrir-se uma aurora de esperança. O saber ia desanuviando as descobertas, antes encobertas, que nem mesmo o tempo afogara, com destreza e sabedoria desenlaçando os nós que a vida dá. Sentir a delícia da liberdade com a autoestima conquistada. Viver é compartilhar as coisas boas. A vida é um eterno aprendizado, estamos sempre aprendendo, nunca estamos terminados. A satisfação sensorial nos convida a nos relacionarmos com os seres: animal, vegetal, mineral. Tenho na busca do equilíbrio uma relação sensitiva com os meus iguais, a natureza me paralisa e
me cativa com o meio ambiente, formando a holística do ser no bom viver. A compaixão faz parte do bom viver. É gratificante receber elogios com palavras acariciantes. A felicidade não é para ser guardada, e sim compartilhada... O mundo intelectual exerce sobre mim um grande fascínio. Busco fazer bem feitas as coisas a que me proponho. Descobrir a verdade disfarçada sob as aparências faz a sabedoria. O secreto, o antigo e o misterioso têm muito encanto para mim. O encanto da vida depende unicamente das boas amizades que cultivamos. A vida nos faz, refaz, constrói, destrói, reconstrói e nunca estamos terminados. Sou também a soma de todas as leituras que me fizeram ser inteiro e não metade. Sabe o que concluí? Meu mundo interior é infinitamente maior que a vida ao meu redor.

Irineu Xavier Cotrim – professor de História; Estudou e gosta; de História e Psicologia. Desde a adolescência gosta de praticar o verbo LER. Como professor de HISTÓRIA sempre se interessou e se preocupou em desenvolver junto com os alunos, trabalhos que levassem à reflexão, do que seja o ser! Como professor de História, buscou na participação com os alunos, o sentido; Educação. O bom viver nos convida a nos relacionar com os seres; animal, vegetal, mineral. Quando superamos o medo de ser, vamos surpreendendo-nos, com o que dispomos para o crescer. A cultura que nos é negada nos faz atravessar as paredes do tempo, refletir sobre o sentido da vida, humaniza-nos e nos faz crescer nos mistérios que nos inundam, para um bom viver.

Serviço:

Aforismos, Memórias, Reflexões, Sobre o Educar
Irineu Xavier Cotrim

Scortecci Editora
Educação
ISBN 978-85-366-5696-0
Formato 14 x 21 cm 
264 páginas
1ª edição - 2018

Mais informações:

Catálogo de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home