Receba nossa Newsletter: Nome Email

AS ÁGUAS DO PASSADO / Newton Sabbá Guimarães

O que são As Águas do Passado? São poemas de várias fases e tempos, de momentos bem marcados na vida do autor. Poemas intimistas, que muitos desadoram. Chamei de Colcha de Retalhos um dos meus livros de ensaios, por ser composto de trabalhos de várias épocas e vária matéria. Este bem poderia ser, igualmente, uma colcha de retalhos de textos poéticos. E, também, uma inútil busca de reencontro com o passado. São, quase todos eles, poemas de amor, tanto os originais quanto os traduzidos, de onde a epígrafe bem apropriada de Yeats – um que muito amou e, acredito, muito foi amado. Dos poemas, originais e traduzidos, alguns são um pouco mais recentes, de uns quatro ou cinco anos para cá, mas há-os, também, de mais de 30 e até um de meio século. Como estão datados, o leitor poderá acompanhar-lhes a trajetória, cronologicamente. A cronologia, neste pequeno livro, não é mero capricho metodológico. É, sim, pálida tentativa de ajudar a explicar o correr das águas do tempo... Ou, se não tiver este significado o meu pequeno trabalho, ele é apenas a vontade de libertação. “On écrit pour se délivrer”, escreveu, um dia, Henriot. Escreve-se para saber-se vivo, mais do que para dizer ao outro o que se sente. Escrevo, estou vivo, e é uma verdade inconteste. De dizer o que me vai na alma no momento em que copio e corrijo os poemas de tantos anos atrás. Mil respostas para tentar explicar por que se lê, por que se escreve, por que se cria uma obra. Mas o escrever é, também, uma pálida, mas inútil, vontade de tentar um retorno. Repito, a vontade de libertar o que guardava há tanto tempo, não apenas nas gavetas, ou em velhos cadernos, mas sobretudo na alma, que é uma espécie de prisão. Na prisão dos anos perdidos – eis uma prisão da qual ninguém impunemente escapa. Não era isto que escrevia o esteta admirável e pensador que foi Émile Henriot no seu jamais bastante elogiado Au Bord du Temps?
Newton Sabbá Guimarães - Abril/2020

As Águas do Passado é uma obra duplamente elaborada pelo critério rigorosíssimo empregado pelo autor, Prof. Dr. Newton Sabbá Guimarães. Explicamos: compõe-se de poesias de diversos autores consagrados e as que ele, o autor, produziu, ao longo de alguns anos, como bem fez menção na sua Notas Iniciais. Com efeito, o leitor poderá navegar por estas águas do passado, sentindo o sabor de versos tocantes, profundos e, até certo ponto, recheados de saudades – o que nos permite dizer da sensibilidade artística com que concebeu tal obra. É meritória, no sentido lato da palavra. Cremos, sem qualquer sombra de dúvidas, tratar-se de um livro que nos permite, também, refletir sobre o conteúdo de cunho filosófico de cada verso, sempre impregnado de sabedoria e de enlevo. É desta forma que podemos ver As Águas do Passado num presente até certo ponto conturbado, ante as vicissitudes do cotidiano, quando enfrentamos as borrascas da vida, no agito diário, nas etapas a vencer e numa época de inúmeras transformações. Muito embora o autor nos diga do seu desejo em encerrar a vida literária, confidenciando-nos de que este trabalho seja o último a publicar, assim não vemos tal intento, em vista de uma vasta produção literária, entre ensaios, estudos e poesias que ele, ele mesmo, guarda com especial desvelo e que precisa, em nome da cultura literária portuguesa, vir à baila. Mas o que mesmo nos leva a dizer, em rápidas pinceladas, é que As Águas do Passado é uma obra feita com amor e perfeição. Quiçá encontre a melhor acolhida, o que nos permitirá sorrir em largo sorriso à exaustão!
J. R. Guedes de Oliveira

Newton Sabbá Guimarães nasceu em Manaus, Amazonas, em 11 de janeiro de 1941. Magistrado de carreira e professor universitário aposentado. Viúvo da Dra. Arlete Belota Sabbá Guimarães, com quem teve dois filhos, Isaac e David. Doutor em Direito, com tese sobre Novos Tipos de Estados e Regimes na África Negra. Uma visão humanística. Doutor em Letras: Teoria Literária e Literatura Comparada, com tese sobre Negritude e Humanismo na Obra de Léopold Sédar Senghor. Doutor em Linguística com tese sobre O Judeu-Espanhol: Uma Língua Neolatina em Extinção. Post-Doctoratus na Universidade de Coimbra com tese sobre Eros e Thánatos no Livro de Consolação. Uma releitura de Camilo. Traduziu várias obras, entre elas A Amazônia Panteísta, de Mavignier de Castro, para o espanhol: La Amazonía Panteísta. Grande apaixonado pelo estudo de línguas, repartiu os estudos de Filologia e Linguística com os de Direito. Membro de algumas academias no Brasil e no exterior. Possui condecorações nacionais e internacionais. Foi longos anos ativista e conselheiro da World Anti-Communist League (pela qual foi condecorado, em Taipé) e nesta qualidade teve encontros com figuras importantes da Política Internacional, como o General Park Chung-Hee, o Dr. Yen Cha-kan, de Formosa, Ferdinand Edralin Marcos, das Filipinas, e muitos outros, e escreveu a biografia autorizada de Park Chung-Hee: O Reformador da Coreia, logo traduzida a outras línguas. Outros livros publicados: Escritos en las Aguas, texto bilíngue em espanhol e aragonês; Ezra Pound: Genialidade e Rebeldia; A Agonia Espanhola; Os Inocentes Diálogos da Pindorama e Outros Ensaios; Ensayos Olvidados y Relecturas, entre outros. E ainda traduções do catalão, do alemão, do holandês, do afrikaans, do francês, do italiano, do grego, do sardo, do romeno, etc. Vive em Florianópolis, Santa Catarina.

Serviço:

As Águas do Passado
E Outros Poemas
Newton Sabbá Guimarães

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-65-5529-238-1
Formato 14 x 21 cm 
124 páginas
1ª edição - 2021

Mais informações:

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home