AS MINAS DE URUCUMACUÃ - O MAPA DO TESOURO INCA NA AMAZÔNIA / Lioberto Ubirajara Caetano de Souza

A história nos conta que os processos de colonização de territórios e povos sempre se deram mediante violência, que traduziam a obstinação por riquezas na forma de ouro, prata e pedras preciosas, também por madeira, já houve lutas, por mão de obra escrava, catequização de índios e também pela busca da expansão territorial.

Os portugueses e os espanhóis travaram uma das melhores disputas relacionadas a estas expansões marítimas, e, em razão disso projetaram um desenvolvimento descomunal das navegações em mar aberto, cresceram como expedicionários, exploradores e conquistadores, e, com o aval da igreja, lançaram ao ocidente inúmeras embarcações e pessoas, militares e civis, nobres e plebeus, intelectuais e ignorantes, seres, que empreenderam missões mar a fora e selva adentro, e que influenciaram de maneira bastante peculiar à cultura dos nativos, e implementaram a condição capitalista do homem moderno.

Os povos latinos têm por esta razão, motivos de sobra para comemorarem alguma soberania nos dias de hoje, porque escaparam da condição colonial e forjaram o novo mundo ocidental, onde a natureza ainda existe, se faz bela e útil a humanidade.

Esta é uma obra de ficção, que não tem a pretensão de contar à história que já foi escrita, mas é um conto, que de forma bastante dinâmica, mostra peculiaridades de personagens que viveram nessa época e participaram dessas conquistas, é também uma aventura romântica, que desvenda com sutileza, as mais intrínsecas características de um povo nativo do Andes peruanos, sua cultura, usos e costumes e seu amor pela vida.

Por fim, se o leitor estiver atento, As minas de Urucumacuã – o mapa do tesouro Inca na Amazônia vai revelar nas entrelinhas da história, a real localização do tesouro mais cobiçado do mundo. O mapa da mina do ouro mais puro que existe.

Acredito que tive as melhores profissões, fui vendedor de pipoca e cartão de natal aos 10 anos, aprendi que as crianças gostam mesmo de pipocas (eu, no caso, comia o lucro naquela época). Trabalhei como vendedor aos 13, junto com meu pai, aprendi a falar com as pessoas. Num curso de desenho publicitário, ganhei um estágio e minha professora e amiga (Badika), me contratou como produtor gráfico da Mercado Propaganda em Santa Maria aos 17 anos, entendi que os detalhes são fundamentais e fazem a diferença para o sucesso do produto. Tornei-me Oficial R2 artilheiro do EB aos 19 anos no 3° GAC AP “regimento Mallet” de Santa Maria, aprendi a apontar um obuseiro, a respeitar os as pessoas boas e as Leis, e, que não importa se você vai levar 4 anos para aprender algo ou 12 meses, o que importa é o que fez com o que aprendeu. Cheguei a Oficial de carreira da PM de Rondônia aos 23 anos, onde permaneci no posto de Capitão até 1.998, aprendi que a vida é dura sim, que a guerra urbana existe e, que nesta profissão existem sim policiais honestos. Mas, foi a partir dos 30 anos que tive uma das melhores profissões, a de Oficial Bombeiro Militar, e, desculpem a franqueza, ser Bombeiro é um privilégio que poucos têm, é dádiva de Deus. É ver o mundo com outros olhos, é ser corajoso, ouvir as pessoas, é assumir problemas sem nada ter a ver com eles, é solucionar situações insolúveis, é beber água e tossir, sem deixar que a vítima perceba, é engolir fumaça, torcer o joelho, o tornozelo, o cotovelo, cortar todos os dedos da mão direita, ter dor nas costas, acordar cedo e dormir tarde. É admitir que nem sempre somos capazes de ajudar os desfalecidos, é ter humildade e aprender com os mais velhos, mesmo que sejam seus subordinados, é entender os mais novos porque são seus subordinados, é suportar os superiores porque não tem outro jeito, é chorar vendo que, inocentes morrem sem ter vivido nada, é escolher salvar primeiro as crianças ao invés dos mais velhos por não poder salvar a todos duma vez, é ser chefe de família, dormir com celular ligado ao lado do travesseiro, é ficar uma semana fora de casa. Ser Bombeiro é ter e atitude e principalmente ter fé em DEUS. “Na Terra, na Água, no Ar, SALVAR” Cel BM CAETANO (Lioberto Ubirajara Caetano de Souza autor do livro: As Minas de Urucumacuã - O Mapa do Tesouro Inca Na Amazônia)
 
Serviço:

As Minas de Urucumacuã - O Mapa do Tesouro Inca Na Amazônia
Lioberto Ubirajara Caetano de Souza

Scortecci Editora
Ficção
ISBN 978-85-366-1640-7
Formato 14 X 21 cm 
196 páginas
1ª edição - 2009

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações


Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home