TEARTE / Jô Drumond

Herdei de minha mãe o gosto por tessituras. Diante dela, junto ao tear, meus olhos infantis observavam horas a fio uma infinidade de meadas policromáticas. Tunica entretinha-se, silenciosa e meticulosamente, entretecendo formas e matizes. Distraída, entre a trama e a urdidura, criava abstrações geométricas ao sabor das horas. Interpunham-se tempo e antitempo; esvaía-se a noção temporal.

Tal e qual Tunica, por herança benigna, mergulho em tessituras e perco-me no desvão do tempo. Não mais diante do tear, mas diante do visor do computador. Fios e cores cedem lugar a sintagmas e a lexemas. Letra por letra, palavra por palavra, frase por frase, prossigo prazerosamente a urdidura verbal.

Minha mãe já se tornou etérea, há algumas décadas. No entanto, suas tessituras, ainda em cores vivas, decoram nossos lares. Fugaz passageira do mundo, qual névoa fátua, dissipar-me-ei também no vácuo universal. Nossas tramas textuais, sejam elas imagéticas ou verbais, são pingos de eternidade. Quando eu me for, meus escritos, publicados ou não, permanecerão. Subsistirei também por meio da metonímia genética, nos filhos, netos, bisnetos, trinetos, tetranetos... que perpetuarão o legado de minha existência. Essa será minha tênue vingança contra a inexorabilidade do tempo.
Jô Drumond

Josina Nunes Drumond
(Jô Drumond) é Doutora em Semiótica: Intersemiose na Literatura e nas Artes, pela Puc-SP, Mestre em Estudos Literários, pela Ufes, pós-graduada em Literatura de língua portuguesa, pela Ufes e em Arte e Cultura Barroca, pela Ufop. É graduada em Letras pela UFMG, em Artes plásticas, pela Ufes, e em Língua, Literatura e Civilização francesas, pela Université de Nancy II (França). Ganhou quatro bolsas de estudos na França. É membro da Academia ES de Letras, Vice-presidente da Academia Feminina ES de Letras (Afesl), membro correspondente da Academia Feminina Mineira de Letras, membro do Conselho Estadual  de Cultura do ES. É tradutora Juramentada do ES e Diretora Cultural da Aliança Francesa de Vitória. Foi premiada em três concursos literários, no ES, PA e RS. É professora aposentada. Atualmente dedica-se a pesquisas literárias e a traduções.

PUBLICAÇÕES DA AUTORA

Livros:

Filigranas poéticas
(bilíngue-poemas) 2009

As dobras do sertão
(tese de doutorado) 2008

Memória peregrina
(contos e crônicas) 2007

Charneca (poemas) 2005

Textos e tramas (Antologia) 2003 Org.

Ecos da terra Capixaba (Antologia) 2004 Org. (et all)

Clepsydra (Antologia) 2007 Org. (et.all)

Publicações de traduções:

Do português para o francês:

Livro de poemas: Le vent de l’autre nuit, de Marien Calixte, 1986

Livro de poemas: Le vivier du silence, de Graça Neves, 2001

Do francês para o português:

Capítulo de Arlette Gauthier Mulheres escravas , 1988

Publicações diversas:

Ensaios, contos, crônicas, poemas, resenhas e artigos publicados em anais de congressos nacionais e internacionais, em diversas coletâneas literárias, em revistas de pós-graduação, em revistas literárias, em jornais e na Internet.

Serviço:

Tearte
Jô Drumond

Scortecci Editora
Contos
ISBN 978-85-366-1649-0
Formato 14 X 21 cm 
112 páginas
1ª edição - 2010

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações


Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home