SAUDADES DE NÍSIA - UM CADERNO DE MÚSICA E POESIA / Eduardo Torres Cordeiro

Anauê, Papary! Xe a-aussuba nde porangaba – assim diria o Abaeté se ainda por ali vivesse. Mas, tudo isso são detalhes que a tudo enfeitavam. Mais lindos são os momentos de amor que, ainda hoje, guardo e vivo no meu coração – banho de bica, violão na praça, estudar e, tempos depois, lecionar no Yayá. Minha terra tem lagoa pra danado – vender pastel; meu pai e meus irmãos pescar; fazer xixi no chão pra não queimar os pés – são vinte e sete recantos tropicais. São paisagens que eu só vejo nos filmes da TV. Nesses versos, versos tortos claros. Hoje ainda é raro quem os faça assim – cará com batata; num venha forte, não! Bonfim, tuas águas, teu encanto, teu esplendor. Sete pontas, recanto de amor. Mas, para mim, em minha mente, és, simplesmente, Bonfim – as estórias de lavadeira que ouvi de Dona Ana... Minha professora de Didática... Trabalhei no Tenente Coronel; conheci muita gente bacana. Ah, Carcará! Pedaço do meu coração. Faz parte da minha história. Guardo vivo na memória e faz parte da canção. Ah, Carcará! Pedaço do céu! Tentei traduzir teu encanto em poesia, verso e canto, num pedaço de papel – quase aconteceu um naufrágio em plena madrugada... A comida apimentada da baiana; acampamentos de semana santa; ô povo doido, meu Deus!  Capelinha, Deus me guarde pra valer da janela de um ônibus da escola. Quando volto, já é noite, volto com você. Como nós, o mar e o céu, assim agora – Pense num grupo de jovens bom! Voltando pra casa depois de um dia inteiro de labuta; por falta de dinheiro: “near, far wherever you are...” Pedra oca, inspiração de poesias e canções. Sem falar nos corações que por ali passaram. Boca da barra, portal do mar. Sol maior, lindo a brilhar. Dentre tantas dissonâncias, tuas belezas vou cantar – romances registrados nas pedras (escritas de amor); um portal que se abriu, se fechou e deixou saudades; ainda digo o tom que estou cantando. Ah, se eu pudesse voltar aos tempos de Barreta de outrora: o sol pungente enfeitando a aurora; lindo arrebol descortinando o luzir – parece até que é comigo, mas não é! É professor como eu; joga uma bola da gota serena e conta umas piadas que lascam qualquer um de rir. Eita, Búzios tão grande, tamanho marzão! Cabe apertadinho em meu coração em meio a saudades, chamego e xodó – dei aula no emaca; imagine um fusquinha, sem freio, com duas velas queimadas, com vazamento de combustível pro lado da faísca do alternador, sendo empurrado pra subir essa ladeira! Jangada no mar, minha rede joguei. Sou eu pescador. Saudades em meu peito, pois, na terra, deixei o meu grande amor. Tem pagode. Tem parracho. Na ilhinha, já fui. Só faltou você. Eita, terra abençoada pela mão de Jesus. Você pode crer – parece Caimmy, mas não é; é apenas uma ficção... Essa gíria, “abençoado”, pegou! Aquela nossa amiga que nos hospedava nas missões me emprestou o carro pra eu buscar minha mãe, então, desenganada pelos médicos... Eternamente grato! Ah! Se alguém se lembrar de dois meninos sambudos, brincando na jangada à beira mar, com a sunga folgada, e a jangada levando-os despercebidamente para o alto mar, por favor, não comente com ninguém!

Eduardo Torres Cordeiro, professor, músico, compositor, casado e evangélico, nasceu em Nísia Floresta (RN) em 15 de março de 1981 e reside, desde 2005, em Parnamirim (RN). Iniciou sua vida docente no ano de 1998, como professor contratado em escolas públicas estaduais e municipais nos municípios de Nísia Floresta, São José de Mipibu e Parnamirim. Trabalhou, voluntariamente, nos anos de 2004 e de 2005, como professor de música nas ONGs Aprendiz de Beija-flor, no município de Canguaretama, e AIBA (Associação Ítalo-Brasileira de Adolescentes), no município de Barra de Cunhaú. Foi professor voluntário de xadrez, no ano de 2007, na Escola Municipal Francisca Bezerra de Souza, situada no bairro de Liberdade em Parnamirim (RN), com o projeto Xadrez e a disciplina em sala de aula, desenvolvido com alunos do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental. Dentre outros projetos relevantes, “O sarau poético: Vinicius eternally”, “Música e poesia em sala de aula” e “Moranduba tupi” deram-lhe suporte pedagógico de dinâmica e interação com seus discentes. O autor é graduado em Letras e Respectivas Literaturas pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) na modalidade presencial conectado. Atualmente, cursa, como aluno especial, mestrado em Literatura Comparada, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e também Licenciatura em Teologia na Escola Teológica da Assembleia de Deus em Parnamirim (ETAP), Igreja da qual é membro juntamente com sua esposa, Rose, e seus filhos, Miguel e Ester. Hodiernamente, o autor leciona Língua Portuguesa no Centro Avançado de Ensino (CAdE), e Língua Inglesa no Centro Educacional Agnus Dei (CEAD). Constam-lhe também algumas publicações na internet de artigos, poesia e composições musicais, dentre as quais, sacras, instrumentais e culturais. Estas últimas resultam neste trabalho publicado.

Serviço:

Saudades de Nísia - Um Caderno de Música e Poesia
Eduardo Torres Cordeiro

Scortecci Editora
Música e Poesia
ISBN 978-85-366-1779-4
Formato 14 X 21 cm 
80 páginas
1ª edição - 2010

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home