43 ANOS DE CRÔNICAS RESENHA DE 1967 A 1988 / P. Preto (Paulo Oscar F. Schwarz)

"Falar das crônicas de Paulo Schwarz, nosso P.Preto, para mim, é arriscado por dois motivos: primeiro porque estou falando de um ícone jauense naquilo a que me dedico – escrever artigos. Segundo, porque se conter nas palavras quando o assunto em voga é o espelho para muitos articulistas, como no caso o Paulo, torna muito fácil a incursão em erros de medida, e digo porque.

Um comentário demasiadamente sucinto, não exporia a preciosidade, a emoção e o complexo de elementos sólidos que compõem os textos do Paulo. Algo extenso, por outro lado, retiraria do meu comentário aquilo que é elementar das crônicas de P. Preto: a capacidade de prender a atenção do leitor.

Mas vamos lá, mesmo que eu erre me conforta a certeza de que jamais atingiremos o nível e a qualidade dos textos de Paulo Schwarz. É um privilégio dividir uma cadeira no Conselho Editorial do Jornal Comércio do Jahu com o autor, assim como um privilégio saborear sua escrita semanalmente. Uma fonte de conhecimento, lembranças, técnica e um veículo cuja viagem nos leva a lugares inimagináveis do passado.
Assim são as crônicas do meu querido amigo."
Rogério Piccino Braga, advogado, escritor, conselheiro editorial do jornal Comercio do Jahu e autor do livro Embates & Opinioes.

“Ler as crônicas do meu amigo P. Preto é um exercício de prazer. É reviver um passado que nós gostamos de recordar. Todos nós temos histórias a contar e P. Preto se incumbe de relembrá-las e nos transportar a um tempo que não volta, de maneira alegre. Leitura fácil e gostosa, suas crônicas enriquecem o “Comércio” há mais de 40 anos.”
Ana Maria Midaglia – jornalista

“As crônicas do P. Preto são mais que uma viagem no tempo: são a forma como nós, seus leitores, somos “teletransportados” para os anos dourados, os grandes bailes e suas orquestras, a telona do cinema e o indescritível prazer de assistir às grandes produções da sétima arte. Acima de tudo, não faltam dedicação, paixão e alegria, fatores imprescindíveis para os que se dedicam à escrita”.
Ana Karina Victor - jornalista

Paulo Oscar Ferreira Schwarz nasceu em 08 de Abril de 1943, em Jaú, filho de Oskar Schwarz e da professora Silésia Ferreira Schwarz. Fez seus estudos primários no então “Grupo Escolar Major Prado” e o secundário no “Instituto de Educação Caetano Lourenço de Camargo. Em 1966 concluiu o curso “Técnico em Contabilidade” na Academia de Comércio Horácio Berlinck. Em 1971 tornou-se Bacharel em Direito pela Instituição Toledo de Ensino, na cidade de Bauru. Começou a trabalhar em 1959, no Escritório de Contabilidade de Martin Garcia Santiago, onde permaneceu até 61, transferindo-se para tradicional empresa da cidade. De 1967 a 72, foi funcionário da Companhia Paulista de Força e Luz. Desenvolveu atividades ligadas à advocacia entre 72 e 77. Em 1978, fez concurso para o serviço público, onde se aposentou. Entre 95 e 2005 lecionou legislação em diversos cursos na unidade local do SENAC. As atividades literárias tiveram início em 1967, na Rádio Piratininga de Jaú. No ano seguinte passou a escrever para o tradicional diário “Comércio do Jahu” tendo sido, inclusive, funcionário da empresa, em 1978. Este ano está comemorando quarenta e dois anos de colaboração. É casado com Marlene Carr Schwarz desde 30 de dezembro de 1977. Em trinta e dois anos de feliz matrimônio, a grande companheira foi responsável pela correção de todos os textos publicados. No dia 23 de novembro de 81 nasceu o filho André Ricardo Carr Schwarz, completando as alegrias da família.
Paulo Oscar F. Schwarz

Serviço:

43 Anos de Crônicas
Resenhas de 1967 a 1988
P.Preto (Paulo Oscar F. Schwarz)
Editora Scortecci
Crônicas
ISBN 978-85-366-1912-5
Formato 14 X 21 cm 
76 páginas
1ª edição - 2010

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações


Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home