PEDRAS EM IZKOR / Maruschka de Mello e Silva

(...) nós que estamos vivendo uma literatura de pensamento, de ficção morredoura, principalmente no que envolve a poesia, tu surgiste com tua força misteriosa que a tenho e a reconheço como plena por ir contra a fase inspiratória da poesia, escrevendo versos com arte e portanto possuindo a inspiração em segundo plano (...).
Leonel Rodrigues Marinho

Assim é a poesia de Maruschka: aristotelicamente filosófica, um transbordamento espontâneo – originado das melhores palavras na melhor ordem, a formar uma melodia de temas recorrentes, a partir da dor da precária e transitória condição de recolhimento reflexivo de um quarto imaginário, do tamanho do universo – de sentimentos poderosos em palavras contidas, as humana, sempre a buscar a sua própria tomada da Bastilha. A autora carrega em si a força criadora, concomitantemente divina e humana, dos verdadeiros poetas, responsável pela edificação de um  mundo próprio.
Ana Luisa Almeida Ferro

(...) a autora exercita com aptidão ímpar o difícil equilíbrio de dinamizar seu pensamento e sua emoção (...) escrevendo uma poesia subjetiva, emanada de sua alma de poetisa, razão da originalidade e fascínio de sua obra (...).
Raimundo Nonato Magalhães Melo

Maruschka de Mello e Silva nasceu em São Luís (MA). Formada em Direito pela Universidade Federal do Maranhão, é Promotora de Justiça. Ainda estudante, participou do movimento Poesia Pluri juntamente com os colegas da Faculdade de Direito Leonel Rodrigues Marinho (LEROMA), Rodolfo Soares dos Reis, Heurides Serra Ferreira e Américo Silva. Possui várias poesias publicadas em Antologias Poéticas nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Obteve o 1º lugar no XXII Concurso Nacional de Poesia da Revista Brasília com o poema "COM ARTAUD I" (1987) e o 2º lugar no XXVI Concurso Nacional de Poesia da Hebraica – Rio de Janeiro – com o poema "PEDRAS EM IZKOR" (2009).

Sou tornadiça  –
em tempo de graça
comerei terra virgem.
(Tornadiça)

Sentir o apelo
das coisas transitórias –
flores que perecem
tão completamente
como se jamais houvessem
existido (...)
(Transitório)

Balbucio kadish
Derramo versos em ocultos
Espelhos –
Não é kipur
Não é kipur
(mumificadas rosas te reverenciam).
(Pedras em Izkor)

Serviço:

Pedras em Izkor
Maruschka de Mello e Silva

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-1691-9
Formato 14 x 21 cm 
80 páginas
1ª edição - 2010

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home