A OBRA DOS SEIS DIAS / João de Souza Bonfim

A luz resplandece nas trevas e as trevas não a compreenderam. (Jo.1:5)
Eu vi também, na mão direita do que estava assentado no trono, um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos. Vi então um anjo vigoroso, que clamava em alta voz: “Quem é digno de abrir o livro e desatar os seus selos?” Mas ninguém, nem no céu, nem na terra, nem debaixo da terra podia abrir o livro ou examiná-lo.

Eu chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro e de examiná-lo. Então um dos anciãos me falou: “Não chores! O Leão da tribo de Judá, o descendente de Davi, achou meio de abrir o livro e os sete selos.”
(Apo.5:1a5)

“Depois que o pecado ofuscara a vista dos homens, Deus proporcionou-lhes uma nova fonte de luz, criando uma nova obra e escrevendo um livro na pessoa de Cristo, o Deus-homem.” Hugo compara a obra de Deus a um livro escrito por dentro e por fora: por dentro encontra-se inscrita a sabedoria e a divindade de Cristo, e por fora o mundo visível e a humanidade visível do mesmo Cristo.
(Hugo de São Vitor, citado por Philotheus Boehner e Etienne  Gilson)

A história constitui um caminho que o povo de Deus há de percorrer inteiramente, de tal modo que a verdade revelada possa exprimir em plenitude os seus conteúdos, graças à ação incessante do Espírito Santo (Jo.16:13). Ensina-o também a constituição Dei Verbum, quando afirma que “A Igreja, no decurso dos séculos, tende continuamente para a plenitude da Verdade Divina até que nela se realizem as palavras de Deus”.
(João Paulo II)

Posto que todas as obras de Deus foram terminadas em seis dias, o mundo tem que durar em seu presente estado seis idades, ou seja, seis mil anos. Com efeito, o grande dia de Deus está limitado por um círculo de mil anos, como o indica o profeta quando disse (S1.89:4): “Ante ti, Senhor, mil anos são como um dia”. E assim como Deus trabalhou durante seis dias para criar obras de tanta grandeza, assim também sua religião e sua ver-dade têm que trabalhar durante seis mil anos.
(Latâncio)

João de Souza Bomfim nasceu em Passos, (MG), em junho de 1940 – ano 5700 do Calendário Judeu – e se mudou para Santo André, na Grande São Paulo, em 13 de maio de 1954. Depois de rápida passagem por Joanópolis, desde 16 de novembro de 2009 fixou residência no Município de Jaguariúna, região de Campinas, também no estado de São Paulo.

Serviço:

A Obra dos Seis Dias
João de Souza Bonfim
Scortecci Editora
Cristianismo
ISBN 978-85-366-0177-9
Formato 14 x 21 cm 
308 páginas
3ª edição - 2011

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home