A ESTRADA POR ONDE PASSEI / Luzia das Virgens Senna

No imaginário brasileiro, e mesmo estrangeiro, a Bahia é representada não apenas pela alegria, festa, preguiça, mas também pela sensualidade de suas mulheres. Porém, sob o manto da permissividade ou respeito às expressões individuais e coletivas, ela é, no cotidiano, conservadora em suas práticas político-sociais, tratando-se de uma cidade ao seu código patriarcal. Essa moldura resvala nas produções literárias das mulheres que ambicionaram (e ambicionam) ultrapassar o espaço privado.

Uma sociedade onde as tradições culturais são diferentes convive com pensamentos conservadores quando se trata da mulher que escreve e tenta seguir os mesmos espaços que os homens. Muitas escritoras, nos primórdios, usaram pseudônimos para publicar em periódicos exclusivos para homens.

Dentro desse espaço cultural não se pode deixar, no entanto, de ressaltar que, a partir de meados do século XX, a Bahia viveu um momento de sobressalto devido à perda do prestígio político nacional, à entrada de novas tecnologias, dentre outros. Também se dá nesse momento a entrada na cena literária de escritoras que lançaram poemas em jornais, revistas e publicações particulares, sendo que, muitas participaram (e ainda participam) de concursos em busca de reconhecimento e visibilidade.

Nesse cenário, em Alagoinhas, destaca-se a incansável Luzia das Virgens Senna, autora de poemas, cordéis e contos publicados em periódicos e livros. Conta Luzia, que, observando sua mãe na escola onde ensinava crianças do lugarejo, se inicia na escrita, utilizando-se de palmas retiradas de cactos na fazenda onde morava. No momento de sentar na sala de aula para aprender a escrever a menina surpreende sua mãe, pois sabia escrever algumas palavras.

Sua história de vida em A estrada por onde passei é narrada com uma linguagem carregada de lirismo. Em cada conto descortina-se uma cena do passado, mas latente e viva na memória da escritora. A estrada percorrida por Luzia Senna é um convite à sensibilidade leitora, porque, fatos da vida real engendram-se ao fértil mundo de sua imaginação, que não tem receio de expor seu medo, depressão, saudade e romantismo, sobretudo quando se refere ao seu “herói”, Osmar, filhas e filhos, netas e netos.

Maria José de Oliveira Santos e pesquisadoras voluntárias da UNEB-CAMPUS II: Ana Désia Boaventura, Alcione Lima, Daniela Brandão, Danielle Pinto, Elizete Leal, Edilene Souza, Ivaneide Silva, Luciana Queires, Mª Lúcia Silveira, Priscila Ribeiro, Tereza Cristina Actis, Vera Lúcia Santos, Vanessa Vila Flor.

Luzia das Virgens Senna é baiana nascida em Queimadas – BA. Dona de casa muito dedicada a sua família. É poetisa, escritora e cordelista. Livros publicados: Te Amo, Brasil (poesia), O Casamento (conto). É membro da CASPAL – Casa do Poeta de Alagoinhas e membro da ALADA – Academia de Letras e Artes de Alagoinhas. A estrada por onde passei relata suas tristezas, suas alegrias e suas aventuras de infância.

Serviço:

A Estrada Por Onde Passei
Luzia das Virgens Senna
Scortecci Editora
Memórias
ISBN 978-85-366-2033-6
Formato 14 x 21 cm 
84 páginas
1ª edição - 2011

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home