O REINO MÍSTICO DOS PINHEIRAIS / Wilson Joel Leal Gasino

É final do século XIX. O país se agita. O mundo positivista, republicano e industrial avança em seus domínios, subjugando a civilização mística, monarquista e agrária do sertão. Ferrovias são construídas, matas são derrubadas, povos são aculturados e os ideais desse novo mundo científico consideram um avanço cada árvore cortada, cada índio morto, cada nova cidade erguida.

É noite de chuva forte e uma mulher grávida se prepara para dar à luz os três bebês que tem na barriga. Na casa isolada no meio do mato, não conta com a ajuda de ninguém e se angustia diante da dor e do medo de perder as crianças. Em meio ao desespero, sonha com o velho monge João Maria, místico que percorreu o sertão do Paraná e Santa Catarina fazendo pregações, receitando ervas e, segundo muitos caboclos, produzindo milagres.

No sonho, o monge diz à mulher que o primeiro bebê já está morto, que o segundo nascerá fraco e só o terceiro virá forte e saudável. Diz ainda que a única maneira de salvar o segundo bebê é cortar o coração saudável do terceiro filho e dividi-lo entre os dois. Quase 20 anos mais tarde ocorre na região um dos maiores conflitos armados já registrados no país, com um saldo de mais de 10 mil mortos. No auge da chamada revolta do Contestado, que durou cerca de cinco anos, os sertanejos dominavam uma área equivalente ao estado de Alagoas, obrigando o exército brasileiro a deslocar para lá mais da metade do seu efetivo.

Os gêmeos, que após uma tragédia familiar crescem separadamente, acabam tomando posições antagônicas no conflito. Miguel, que vive na cidade, representa o mundo progressista e racional, que despreza a religiosidade cabocla e o apego ao chão, enquanto o emotivo sertanejo Gabriel identifica-se com os mistérios que habitam o coração da terra. Asrael, o irmão que nasceu morto, é uma sombra que vai rondá-los durante essa saga. A “Guerra do Contestado”, também chamada de “Guerra dos Fanáticos”, é contada neste romance através das aventuras paralelas de personagens de ficção, atravessando esse momento da construção do Brasil e recriando parte do universo fantástico do imaginário popular regional.

Percorrendo também um dos principais debates filosóficos do nosso tempo, sobre até onde o racionalismo e a religiosidade podem levar o homem quando ele se desliga da sua própria humanidade. No cerne de todo o enredo está a terra, identificada misticamente com o coração e suas mais profundas e ancestrais paixões, a luta pela vida, o alimento, o amor, o abrigo, o sexo. E é em momentos de grandes conflitos como esse, um drama de paixões, ambições, ideais e heroísmo, que é possível entrever e entender melhor um pouco daquilo que jaz profundamente escondido no maravilhoso, fértil e misterioso coração humano.

Wilson Joel Leal Gasino, 44 anos, nasceu em União da Vitória, Paraná. Formado pela Universidade Federal do Paraná, é jornalista há 25 anos e trabalhou em alguns dos maiores jornais do estado como Gazeta do Povo, Diário do Norte, Jornal do Estado e Jornal de Londrina e também no jornal A Tarde (BA). Em março de 2006 lançou o livro reportagem “Histórias Sobre Corrupção e Ganância” sobre a quebra e privatização do Banestado. Além de “O Reino Místico dos Pinheirais”, conta com mais dois romances a serem lançados: “Luz Invisível” e “O Castelo da Não Existência”.
Contato:
wilsongasino@gmail.com

Serviço:

O Reino Místico dos Pinheirais
Wilson Joel Leal Gasino

Scortecci Editora
Ficção
ISBN 978-85-366-2229-3
Formato 14 x 21 cm 
212 páginas
1ª edição - 2011

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home