MESTRES / Hebe C. Boa Viagem A. Costa

Prazerosamente relembrei meus tempos de universitária. Foi uma volta ao passado escrever sobre os mestres e rever o quanto eles foram significativos para mim e, certamente, para todos aqueles que tiveram a sorte de ser seus alunos. Estive nessas universidades, PUC de Campinas, USP e UniFIG,  no momento que elas começavam a ser construídas.

Fui testemunha da luta de seus  fundadores e do corpo docente para que elas se firmassem. Gostaria de prestar essa modesta homenagem também a outros mestres mas, por razões óbvias, me limitei a retratar apenas treze deles. Comparando com os dias de hoje, um fato chamou minha atenção: a quase ausência das mulheres nos meus tempos de universitária (da década de quarenta até a de setenta). Só uma titular e algumas assistentes! Felizmente hoje isso não acontece mais. Os “tetos de vidro” para o gênero  estão ficando cada vez menos frequentes.

É uma tarefa prazerosa recordar e escrever. Na elaboração do meu livro Elas, as Pioneiras do Brasil, com 60 biografias para contar a história do nosso país sob a ótica feminina, senti uma emoção muito grande ao descrever o século XX. Muitas dessas mulheres eram minhas contemporâneas, estávamos vivendo no mesmo contexto histórico! Vi a mulher alargando seu espaço: o direito de voto e de ser votada, de exercer profissões até então exclusivas do homem...

Algumas dessas mulheres, em especial Carlota Pereira de Queiroz e Noemy da Silveira Rudolfer, fizeram que eu voltasse no tempo e recordasse o encantamento que tive ao conhecê-las. Eu tinha oito anos quando vi Carlota discursando num comício, ao lado de Armando Sales de Oliveira. Pela primeira vez vi que a mulher também podia fazer coisas que, segundo minha percepção, só os homens tinham o privilégio de fazê-las! Quanto a Noemy, eu já era adolescente quando galguei a escadaria da Caetano de Campos, na Praça da República, para frequentar o curso de Pedagogia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Noemy era então a primeira e única titular de uma cátedra na USP. Encantei-me com sua cordialidade. Mais uma vez constatei: a mulher Pode!

Elas, as Pioneiras do Brasil me abriu uma oportunidade: fui convidada para escrever biografias dos Patronos das cadeiras da Academia Paulista de Psicologia. Quando me forneceram a relação constatei que alguns deles tinham sido meus professores. Novamente mergulhei no passado. A partir de 2005 comecei a escrevê-las e, nove delas, foram publicadas no Boletim da Academia Paulista de Psicologia. Na pesquisa encontrei duas situações: de uns, o material era farto enquanto de outros, escasso. Conheci os personagens e sabia que todos eles tinham sido atuantes, brilhantes e de grande significado na formação de inúmeros brasileiros. Por incrível que pareça muitos desses valorosos mestres estão sendo esquecidos! Por quê?

Foi quando me ocorreu escrever este livro. Seria uma oportunidade para resgatar a memória de pelo menos alguns dos muitos que contribuíram significativamente no desenvolvimento sociocultural do país e me estimularam a sempre estudar. Das três Universidades, nas quais me graduei em quatro cursos, selecionei 13 mestres. Confira! Obrigada, Mestres!

Serviço:

Mestres
Hebe C. Boa-Viagem A. Costa

Scortecci Editora
Biografia
ISBN 978-85-366-2298-9
Formato 14 x 21 cm 
152 páginas
1ª edição - 2011

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home