LINGUAGEM E ABSOLUTO / Rafael Sandoval

Desde Kant e sua Crítica da Razão Pura que a Metafísica entrou em descrédito; na contemporaneidade, declarar-se um metafísico significa assumir um status menor do que declarar-se um filósofo da ciência ou um filósofo político. É bem verdade que a Metafísica clássica do início século XX em diante perdeu muito de sua credibilidade e consistência; fruto, sobretudo, da “Viragem Linguística” perpetrada por Russel, o “primeiro Wittgenstein” e Moore, tendo como corrente mais radical de negação de qualquer Metafísica o Empirismo Lógico do Círculo de Viena.

Com efeito, a Metafísica foi entendida muitas vezes como conjunto de pseudoproposições sem nenhuma significação literal. Nesta pequena obra o autor, Rafael Sandoval, procura compreender e analisar temas que são naturais ao impulso filosófico e, por conseguinte, metafísico do homem: todo homem ao redor do globo, nos diferentes povos, faz algum tipo de Metafísica. Mesmo o homem contemporâneo que arroga um ateísmo e uma fé na razão e na ciência possui algum tipo de metafísica, pois não é também a ciência uma metafísica? As categorias intrínsecas de relação e quantidade são um modo como as ciências modernas consideram os diversos entes: são elas nada mais que categorias metafísicas.

Rafael Sandoval, 24 anos, é graduado em Filosofia pela Universidade Católica de Brasília e Faculdade de Filosofia de Braga, Portugal. Tem participação na publicação de obras de História da Educação no Distrito Federal. Esta é a primeira obra de sua autoria na área de Filosofia.

Serviço:

Linguagem e Absoluto
Investigações Metafísicas
Rafael Sandoval
Scortecci Editora
Filosofia
ISBN 978-85-366-2096-1
Formato 14 x 21 cm 
80páginas
1ª edição - 2012

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home