O CRIADOR E O PREDADOR / Olegário Natureza

Me entristeço ao ver o desequilíbrio natural da vida, mas vejo que não é possível a vida, a vida está morrendo por causa humana, o meu coração chora lagrimejando sangue, o prazer humano é só dizimar, a vaidade se mostra na estupidez do coração que já não sente mais o amor ao seu semelhante. É triste saber que o amor já não existe como era antes, se não ama a si próprio, quem amará, os dias são maus, a degenerescência são os dias, e que o planeta Terra já está comprometido, assim viabilizando as suas vaidades e vontade de serem ruínas, vontade de praticar as mesmas heresias.

Um fim desastroso que é impertinente, a vontade de praticar tantos malefícios que as mãos dos tais unificam os dias finais, que são ruínas, as obras dos tais não estão se limitando, o dia de amanhã está por sorte, não sabemos quando virá o fim de toda a humanidade, mas pelo visto o fim está bem próximo, a ignorância viabilizando o mau pensamento, não compreendendo a essência maior, o entendimento para o bem que preza a harmonia.

É, sinto muito em dizer que o mal está por vir, a vida sobre a terra está por um fio, maremotos e terremotos são as causas maiores, o alimento humano está comprometido, a fauna e a flora já não são os segmentos harmoniosos, tudo está confuso, os dias já não são os mesmos, o sol não se limita na sua força, a força maior está se esgotando, a humanidade está percebendo o que está por vir, mas já é tarde, a única e expressiva resposta é Deus, o que nos deu a vida. É ele o Criador de todos nós, e por ele seremos salvos diante de tantas adversidades, e englobo o meu sentimento à vida.

Olhar e ver: o que é a verdade de ser? O ser simplificado na pura anatomia constituída por mãos divinas vê que o seu mundo é o de ser, ser humano e inteligente, por saber que tudo é  normal no mundo material. Por tudo não somos nada, e ao mesmo tempo tudo é segundo as conformidades do Criador. Somos todos uma coligação em desejo encantador generalizado pelo sentido do amor, amor de perplexidade reabilitando um a um com o sentido do bem, mas a verdade de tudo é confusa. Estimam as paixões, o amor e ao mesmo tempo o desamor, pelos sentimentos de ciúmes que se transformam em horror. O mundão atrai pelo enigma que transcende o ritmo dos sentidos que veem e pressentem a força molecular que tramita na intensidade dos seres que vivem por este mundo atraente e desejado. O gosto da vida faz você entender e estabelecer o saber das coisas que vêm e vão e não permanecem por igual. Tudo é confuso ou não, mas tudo é cumprido pela vaidade.
Olegário Natureza

Serviço:

O Criador e o Predador
Olegário Natureza
Scortecci Editora
Cosmologia
ISBN 978-85-366-2663-5
Formato 14 x 21 cm 
192 páginas
1ª edição - 2012

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home