PIMENTA NEVES - UMA REPORTAGEM / Luiz Octavio de Lima

O livro narra em tom de reportagem a história do autor do crime que abalou a imprensa brasileira em 2000: Antonio Marcos Pimenta Neves. Na época, diretor do jornal O Estado de S. Paulo matou a ex-namorada Sandra Gomide, 30 anos mais jovem, em um haras de Ibiúna, pondo fim a uma escalada de intimidação e violência contra ela desde que a jornalista rompera o relacionamento de três anos.

A ascensão e queda de Pimenta Neves, da infância em Araraquara ao presídio de Tremembé 2 (SP), passando pelo Banco Mundial, em Washington, é contada com base em extensa pesquisa e cerca de 100 depoimentos.

– Vamos almoçar? – convidou Pimenta Neves. – Aqui perto tem um ótimo francês, o Roi Roger... Estávamos a cinco quarteirões um do outro, a Casa Branca no meio. Cheguei antes ao endereço, mas não via nenhum bistrô, até que, diante da placa Roy Rogers, caiu a ficha. Esse era o Pimenta! E já com background equestre, como constato, surpreso, 15 anos depois. A começar por Trigger, “O Cavalo Mais Inteligente do Cinema”, montado pelo “Rei dos Cowboys”. A mãe de todos fast-food Roy Rogers dos EUA tinha sua base em Virgínia, onde Pimenta morava e construíra uma estrebaria. Fascinado por cavalos, quis fazer de sua namorada no Brasil, Sandra Gomide, uma amazona.

Ela até comprou um manga-larga, Oceano. O problema é que ele também a queria sob cabresto. Seu trigger (gatilho) foi o de um Taurus calibre 38. Apertou-o uma, duas vezes, no Haras Setti, em Ibiúna (SP). Os amigos de Washington o chamavam de “O Abominável Pimenta das Neves”, só de brincadeirinha. Mas ele o confirmou, abominavelmente. Foi em 20 de agosto de 2000. Jornalista assassina a namorada, também jornalista, e ninguém da imprensa ousava escrever uma reportagem aprofundada, investigativa, esclarecedora. Não mais, com este ótimo livro de Luiz Octavio de Lima. Li-o como leitor e editor, mais de uma vez. Está completo. É honesto. Checado e rechecado. Relata, sem ficção. Por 43 vezes o personagem principal, Pimenta Neves, foi convidado a falar. Não quis. Para mim, caiu do cavalo.
Moisés Rabinovici

Luiz Octavio de Lima é jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 22 de fevereiro de 1959, formado pela PUC-RJ e com MBA em Economia pela Unicamp-Facamp. Atuou nas redações de O Globo, Folha de S. Paulo, Veja, O Estado de S. Paulo, Época e Exame. No Estadão integrou a primeira equipe de internet, desde 1994, e conquistou por três vezes o Prêmio IBest nas categorias Notícias, Jornais e Revistas e Informação Tecnológica. Atualmente, dirige uma empresa de comunicação e é editor sênior de web na redação do Diário do Comércio, da Associação Comercial de São Paulo. Pelo veículo, fez parte da equipe vencedora do Prêmio Esso de Jornalismo, na categoria Melhor Contribuição à Imprensa, com a criação do Museu da Corrupção (www.muco.com.br), em 2009. Também organizou o livro O Xingu dos Villas Bôas (Metalivros, 2001). Trabalhou por 12 anos no Estadão, três deles tendo Pimenta Neves como diretor de redação.

Serviço:

Pimenta Neves
Uma Reportagem
Luiz Octavio de Lima
Scortecci Editora
Jornalismo
ISBN 978-85-366-3032-8
Formato 14 x 21 cm 
368 páginas
1ª edição - 2013

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home