BANAL -IDADE / Jaime Collier Coeli

A literatura faz ao cidadão o mesmo efeito da obscenidade sobre o virtuoso, tanto no escândalo de imaginar uma liberdade adolescente quanto na decepção da trivial militância entre os membros mais perigosos da humanidade. Cidadão comum e jornalista durante 45 anos diante do despudorado da vida, Jaime salienta a dificuldade em diferençar o literário da manifestação automática da autoajuda, fatores que classificam um autor a enfrentar dificuldades de convivência social, com suas verdades históricas, mitos e selvagem humanismo que, juntos, completam a fábrica de decepções, berço da cidadania. O mergulho na trivialidade extingue a história factual e o caráter pessoal de personagens, à maneira de cupins e saúvas, porque o único objetivo é fazer o que sempre se fez: a perfeição ultimada.
Jaime Collier Coeli

Nasceu em 1938, em Campinas (SP). Exerceu o Jornalismo em São Paulo, Brasília, Goiânia e Rio de Janeiro. Publicou Blindagem de miosótis (contos - 1977), Ei, amor, você também ama a realidade, não ama? (romance - 1983), Síndrome de anil (romance - 1999), Filosofia sem medo (ensaio - 2000) e A saga de Nimuendaju (rapsódia - 2005).

Serviço:

Banal-Idade
Jaime Collier Coeli

Scortecci Editora
Contos
ISBN 978-85-366-3532-3
Formato 14 x 21 cm 
80 páginas
1ª edição - 2014

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home