CHUVA ARDENTE / Monica Conceição

Livro de poesias que fala dos amores perdidos e resgatados, sobre o planeta, mulheres, inquietudes, morte e vida. Tem quem diga que a poesia morreu. Não é verdade. Eu sei porque li este livro. Senti nos versos de Monica Conceição a chuva caindo. Senti a vida renascendo. O verso dando forma à vida. E a vida sendo o sentido do verso. A poesia é algo que escapa à lógica das palavras. Ela dança no ritmo dos versos. Se faz presente com intensidade para em seguida se fazer mais presente ainda, mas pegando leve, numa ideia que extrapola o verso e entra na gente como uma brisa.

Em Chuva Ardente, tanto faz a ordem com que os poemas sejam lidos. A maravilha da poesia é que cria uma sequência que não pertence ao poeta, mas a quem lê. Quem se propõe a dividir uma experiência transcendental. Uma forma de sentir, de ser, de se abrir, de receber e de dar. Cada um tem sua ordem, sua sequência. Poesia é entrega de quem escreve e de quem lê. Onde um começa e outro acaba? Tanto faz, o verso tem o condão de abrir possibilidades únicas para você e para mim, independentemente do sentimento do poeta.

Ou não, eis o mistério: há uma interligação permanente entre autor e leitor, entre o verso e o ritmo da leitura, que varia de pessoa para pessoa. Essa magia faz parte da poesia. Para que ela aconteça, não basta escrever versos seguindo as regras poéticas. É preciso mais. Para ser poeta é necessário viver a poesia. Sem isso o leitor pode achar os versos lindos, mas não haverá a comunicação ancestral, que fala de pessoas repartindo com outras pessoas. Monica Conceição consegue isso. Chuva Ardente molha e queima. Fere e cura. Vai fundo no fundo do peito e volta, atravessando o cérebro. Marca. Mas para que continuar? Leia. Entre na poesia. Afinal é disso que se trata.
Antonio Penteado Mendonça - Dezembro de 2013.

“As palavras são como elas são, mas também são como eu sinto, mesmo que não sejam moradias ou vivências. Poderiam ser analisadas, mas dizem o que dizem, e tem a força para ultrapassar o universo do meu dizer”.
Monica Bokel Conceição

Monica Bokel Conceição nasceu no Rio de Janeiro, em 1953. Casada e mãe de três filhas, vive em São Paulo há mais de trinta anos. Desde cedo começou seus estudos de pintura com vários mestres, como Augusto Rodrigues na Escola de Arte do Brasil; pintura e desenho com Catarina Baratelli; harmonia, cromatismo e crítica de arte com Abelardo Zaluar. Continuou sua formação no Instituto de Belas Artes do Parque Lage, no Rio de Janeiro. Fez sua primeira exposição na Galeria Vice-Rei, em 1969. Recebeu várias premiações do Salão Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro: Menção Honrosa (óleo sobre tela), em 1970; Medalha de Prata (desenho sobre papel), em 1971. Também participou, como debatedora, do programa Sem Censura, na TV Brasil (ex-Funtevê), na década de 1990. Trabalhou como designer de roupas por 20 anos, criando vestidos exclusivos para mais de 200 noivas e uma infinidade de trajes de alta costura. Atualmente, à literatura, sem nunca abandonar sua paixão pela pintura. Águas sonoras foi seu primeiro livro de poesia.

Serviço:

Chuva Ardente
Monica Conceição

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-3558-3
Formato 14 x 21 cm 
100 páginas
1ª edição - 2014

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home