CATÁLOGO MAÇANTE DAS COISAS COMUNS / José de Paiva Rebouças

Os humanos nascem livres. Menos os escravos das palavras que vivem para palavrear e para lavrar a palavra.

“José de Paiva Rebouças é um poeta dos seres humanos e das suas palavras. Para ele, o homem somente se concretiza na verbalização. Sem palavras não há homem, pois o dizer é condição para existir”.
Dr. José Roberto Alves Barbosa Professor de Linguística e Literatura

“A lucidez e a verticalidade da poética de José de Paiva Rebouças nos atinge como um tiro”.
Walter Moreira Santos Escritor e Ilustrador

DOS (DES)CAMINHOS DA POESIA - São muitos os caminhos que pode (e deve) um poetade talento ir fazendo ao andar, podendo representar desde a dura lida do homem simples na sua plantação, que faz a vereda-poesia (muitas vezes trágicas, mas até – às vezes – ternas) com sua penosa existência, que produz poemas com sua enxada vida afora, que agua o solo com seu próprio suor, passando pela sensível estrada representação do mundo através da poesia escrita, que reconta, reolha, revive os passos desse mesmo homem sobre a mesmíssima terra, até aquela vereda-atalho que pinta (também representando, claro) o mundo de fora (e, principalmente, o de dentro) numa tela.

Nesse instigante Catálogo Maçante das Coisas Comuns, José de Paiva Rebouças dialoga com essas três forças reais e simbólicas: com três homens aparentemente comuns, mas tocados – cada um a seu modo – pela arte: conversa com Antônio de Zé de Chico, um agricultor analfabeto e negro da chapada do Apodi, que representa as origens interioranas do poeta e a força humana do trabalho comum desse nosso. Sertão-Mundo, também interage (com admiração quase devota) com Raimundo Leontino, grande poeta cearense radicado em Mossoró; e por fim anuncia Anchieta Rolim, um artista plástico de Areia Branca que defende o livre pensamento artístico sem influências, a construção da arte pela própria percepção do homem sem a necessidade de referências além da própria experiência de vida.

Muitas outras leituras podem ser feitas para isso contribui o talento do escritor, pois em várias outras “camadas” implícitas do livro se escondem vastos significados, que podem ser visualizados (ou apenas intuídos) pelos leitores mais atentos e, por que não, também talentosos como o poeta.
Pedro Salgueiro Escritor

José de Paiva Rebouças nasceu em Mossoró (RN), em 1982, onde vive atualmente, mas foi criado em Apodi (RN). Formado em Jornalismo pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua na área desde 2002. É editor da Revista Cruviana, caderno virtual de contos e organizador do livro Cruviana (Sarau das Letras, 2013). Em 2014 publicou sua primeira coletânea de crônicas intitulada: Da Amizade Sincera de um Urubu (2014).

Serviço:

Catálogo Maçante das Coisas Comuns
José de Paiva Rebouças
Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-3643-6
Formato 14 x 21 cm 
92 páginas
1ª edição - 2014

Mais informações:

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home