PARA ONDE O TEMPO PASSA? / Dina de Kémel / Dias de Cordel

Pensar para entender... Pensar que sabe, é saber?/Quem sabe, como aprendeu?/Saber sem nada entender/É saber que escafedeu/E ficou só prepotência,/Arrogância e “insolência”/Sem saber, que arrefeceu.

Onde houver conhecimento/Claro que haverá saber/Só que sem discernimento/Ninguém sabe se entender/E quem diz, pensa que sabe/Mas o saber não lhe cabe/Pois nem sabe onde há saber.

Quantos dizem saber tudo/Só que nem sabem prever/Quanto sabe um “sabe-tudo”/Que só sabe aparecer/E um sábio que tudo sabe/Diz que algum saber nos cabe/Quando se sabe entender...

Pensar para saber... Saber pensar, é saber/Mas nem todo mundo sabe/Que é necessário entender/Todo o saber que a um cabe/Saber sem hipocrisia/E sabendo em sintonia/Será saber de verdade...

Sabendo e tendo argumento/Pensado, para entender/Com algum procedimento/Se “aglutina” mais saber/Porém se enganar que sabe/É saber sem validade/Para quem sabe, entender...

Quantos dizem saber tudo/Só que lhes falta saber/Quanto vale um “sabe-tudo”/Arrogante, em seu saber/Que o exalta e de verdade/Sabe pouco e não lhe cabe/Se esnobar sobre o saber...

Não há qualquer tempo
Não existe qualquer tempo/No tempo só muda o clima/Inerente ao mesmo tempo/E esse tempo é “obra prima”/Que em tempo algum vai passar/Porque é tempo pra ficar/E no tempo que ele estima...
Por onde o tempo passou?/Quem tiver tempo me diga/Porque há tempo aqui estou/Com tempo e muita fadiga/Dando um tempo pra esperar/Sem ver o tempo passar/E o diabo, a tempo, que o diga...
Todo verbo tem seu tempo/Com mais tempo positivo/Só que jamais passa o tempo/Pois tempo é intransitivo,/E enquanto, no tempo, eu fico/Havendo tempo eu explico/Se o tempo é mesmo efetivo...

Passando no tempo
Pensando que o tempo passa/No tempo estamos passando/E o tempo não faz trapaça/Pois há tempo está ficando/Com tempo que permanece/Quem passa no tempo, esquece/Que há tempo está se enganando...
Nesse tempo a gente leva/Mais tempo, a pensar que estamos/Num tempo que nos enleva/E em pouco tempo enxergamos/Que o tempo não vai passar/Mas tem tempo de enganar/Todo o tempo, em que passamos...
Passo no tempo que fica/Pois no tempo estou passando/E há muito tempo ele indica/Ser tempo que está ficando/Daí, que o tempo aguardamos/Sem que o tempo passe e vamos/Nós, nesse tempo passando...

Leila Dinniz Costa Dias nasceu em Uruaçu (GO) no dia 22 de janeiro de 1975 e logo no mês seguinte mudou com seus pais para Goiânia. Morou na Vila Coimbra e Setor Serrinha. Foi batizada na Igreja do Setor Pedro Ludovico, que fica perto de Serrinha, e agora reside no Setor Progresso, região de Campinas, em Goiânia (GO). Fez o pré-primário na Escola Municipal de Primeiro Grau Nhanhá do Couto, Av. 24 de Outubro, em Campinas, Goiânia. Completou o Ensino Fundamental e cursou o Segundo Grau completo (ensino médio) no Colégio Pedro Gomes de Campinas, Goiânia. Ingressou na UFG e concluiu o curso de Licenciatura em Matemática. Gosta de cinema, literatura, música e animais. Seu animal predileto é o gato. Está se aventurando no mundo das palavras ao lado do pai, que também é amador das letras, e planeja escrever suas memórias da escola, um livro de contos, e criar personagens para pequenas histórias que encenarão o cotidiano de Goiânia.

Serviço:

Para Onde o Tempo Passa?
Dina Kémel
Dias de Cordel

Scortecci Editora
Ficção
ISBN 978-85-366-3715-0
Formato 14 x 21 cm 
80 páginas
1ª edição - 2014

Mais informações:

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home