REMINISCÊNCIAS / Vadô Cabrera

Neste primeiro trabalho, o poeta Vadô Cabrera reúne poesias em dois tempos: do início da juventude, quando começou a escrever e dos tempos maduros, já com família constituída, passando por temas atuais. É uma viagem pelo passado longínquo, aonde descreve suas ilusões, sonhos e desejos chegando a um passado mais recente, com temas mais maduros e espirituais.

O que é ser poeta? Não é fácil ser poeta. É mais fácil ser prosador. O poeta trabalha mais com as palavras. Não só com seu sentido, mas com sua estrutura física, a sua geografia espacial na frase, ou melhor, no verso. O poeta não é apenas um artesão das palavras, é um escultor. Ele é mais do que isso, não pode se preocupar apenas com a forma, o poeta vai além, muito além. O poeta é, ao mesmo tempo que garimpador das palavras, aquele que procura extrair delas a sua essência. Algo que está escondido nas suas entranhas, no seu íntimo.

Ela diz mais com o poeta, do que com ela expressa, o prosador, ainda mais, ela tem que estar intimamente ligada com sua companheira adiante em harmonia. Seu relacionamento não segue as regras do comum, do dia a dia. Ela ganha expressão, sua cor é mais vibrante, seu som é mais puro e penetra no âmago dos nossos sentimentos. Ela não vibra no cérebro, mas em algum ponto indistinto da alma.

O poeta, só é poeta, se consegue arranjar as palavras com a mesma harmonia de uma iquebana – reproduzir num vaso todo esplendor de uma sequoia ou, com uma só flor, compor todo um discurso. Cabrera demonstra que tem essas qualidades, mesmo nesse primeiro livro. Seus poemas transmitem seus sentimentos e sua vontade de, com palavras, abraçar as pessoas, acolhê-las com amor fraternal. Não consegue o poeta Cabrera, deixar de ser um Salvador das esperanças e da fé. Essa grandeza de cantar o belo, o amor, a fé, e os sentimentos nobres transforma o homem em algo mais que uma presença.
Benedicto Sérgio Leencioni - Professor, historiador e membro da Academia Jacarehyense de Letras.

Salvador Cabrera Santiago, “Vadô Cabrera”, nasceu no dia 1º de janeiro de 1955, na cidade de Porecatú – PR. Em 1959, sua família migrou para São Paulo, Capital, onde morou até se casar. Logo após, mudou-se para Jacareí – SP. Escreve desde os catorze anos, porém, nunca havia divulgado seus trabalhos. Poeta, compositor e cronista possui, também, vários artigos publicados no jornal Diário de Jacareí. Em 1999, participou do Concurso Literário da Fundação Cultural de Jacareí “José Maria de Abreu”, conquistando o 6º lugar, em “Poesias”. Em 2009, participou do Concurso Literário, da Academia Jacarehyense de Letras, recebendo medalha Menção Honrosa, em “Crônicas”. Em 2010, pela AJL, conquistou o 1º lugar, em “Crônicas” e Menção Honrosa, em “Poesias”. Em 2011, pela AJL, recebeu Menção Honrosa, em “Crônicas”. Em 2012, pela AJL, foi premiado nas três categorias: “Poesias”, “Contos” e “Crônicas”. Em 2012, foi premiado no 1º Prêmio SFX de Literatura, da JAC – Editora, na categoria “Poesias”. Todos os trabalhos foram publicados em Coletâneas dos organizadores. É autor da letra da música Senhora Aparecida, gravada por uma dupla de Jacareí. Em 2012, foi convidado a participar da Academia Jacarehyense de Letras, como pré acadêmico, vindo tomar posse, em junho de 2013, como acadêmico, ocupando a cadeira nº 01 tendo como patrono o poeta Mário Guerra.
Tem trabalhos inseridos no site:
www.recantodasletras.com.br/autores/1955
e-mail’s:
vadocabrera@ig.com.br cabrerajac@yahoo.com.br

Serviço:

Reminiscências
Vadô Cabrera

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-3732-7
Formato 14 x 21 cm
72 páginas
1ª edição - 2014

Mais informações:

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home