ASAS DO MEU TEMPO / Alberto Slomp

"Asas do meu tempo" trata de poemas que enaltecem a cidade de São Paulo e o seu povo com versos e rimas e temas diversificados, mostrando a beleza do cotidiano com uma linguagem clara e simples. O autor, em inúmeros poemas interage com a realidade, falando de espaços paulistanos reais, memoráveis e de épocas passadas, tecendo considerações sobre o texto como algo vivo e dinâmico; em outros trabalha com magnificência emoções e sentimentos; em alguns, espiritualidade, amor e criatividade. O poeta paulistano contemporâneo Alberto Slomp é um memorialista de magnífico senso observador e estilo inigualável; ele convida o leitor para compartilhar suas emoções, sentimentos e vivências.  

O poeta paulistano contemporâneo Alberto Slomp convida o leitor para fazer um mergulho neste livro de poemas diversificados. Assim, partilha suas emoções, sentimentos e vivências, mostrando a beleza do cotidiano com uma linguagem clara e simples. Sendo um memorialista, enaltece a cidade de São Paulo e o seu povo com versos e rimas. Boa leitura!

A poesia que faço surge em decorrência da minha experiência de vida, da memória que trago de situações da cidade em que vivo. A poesia surge voltada para as lembranças de ruas pelas quais andei e ainda ando, admirando a beleza das construções, algumas de séculos passados. Muitos dos edifícios antigos da cidade de São Paulo fazem parte da história do Brasil, como a Igreja do Pátio do Colégio e o Solar da Marquesa de Santos. Alguns edifícios não existem mais; outros, embora reformados, continuam sendo utilizados, às vezes com finalidade diversa da época de sua criação.

O centro antigo de São Paulo com seus prédios traz-nos toda a beleza da construção que as gerações passadas nos deixaram e que as pessoas, apressadas no dia a dia, não têm tempo para observar. Muitas passam pela história sem sequer saber da sua importância. Em razão da vida agitada, acabamos entrando em um círculo vicioso: tornamo-nos escravos do tempo, com a visão voltada para o relógio para cumprir compromissos, e permanecemos na rotina por anos. Certo dia resolvi dar um basta na minha rotina e saí observando a cidade e imaginando como ela foi nos tempos antigos. Entrei em diversos edifícios, igrejas, museus. Fiquei observando a grande quantidade de pessoas que passavam apressadas, até se esbarravam, mas continuavam caminhando em ritmo acelerado. Percebi que elas estavam preocupadas com seus problemas e não tinham tempo para observar ou pensar na importância dos prédios históricos, muito menos para admirá-los.

Parei para tomar um café na mais antiga padaria que existe no centro de São Paulo, denominada Padaria Santa Tereza, situada próxima do Fórum João Mendes. Durante esse intervalo ocorreu-me que o tempo, que é tão precioso, às vezes é desperdiçado porque no dia a dia nos esquecemos de coisas muito importantes, de ter momentos dedicados para nós e nosso enriquecimento cultural. Deixamos de observar a beleza do sol, do entardecer, como se tudo fosse eterno; esque-cemos que o tempo passa rápido e uma pausa para olhar ao nosso redor pode desestressar e ser muito interessante. Escrevi alguns poemas que estão neste livro e espero que você goste. Recomendo a leitura de uma poesia por dia – assim, no final de um ano você terá lido 365 poesias! Boa leitura!
Alberto Slomp

Serviço:

Asas do Meu Tempo
Alberto Slomp

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-3861-4
Formato 14 x 21 cm
64 páginas
1ª edição - 2014

Mais informações:

Catálogo de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home