DA CONSCIÊNCIA COMPORTADA À DIALÉTICA DA EXISTÊNCIA: UM CONFRONTO DE DURKHEIM E FREUD / José Mendes de Oliveira

Da Consciência Comportada à Dialética da Existência constitui exercício de reflexão sobre a sociologia formulada por Emile Durkheim, mais precisamente no que se refere à abordagem da dimensão normativa da vida social e sua relação com a individualidade dos sujeitos. Essa questão é problematizada observando-se o conceito de consciência em sua expressão coletiva e individual e os aspectos concernentes às representações (eixo da cultura) e distorções da percepção (eixo do conhecimento).

O confronto dos aportes teóricos de Durkheim com a teoria psicanalítica permite ao autor, ao mesmo tempo, considerar o reducionismo sociológico de um ponto de vista crítico e verificar em que sentido os conceitos formulados por Sigmund Freud podem contribuir para enriquecer o debate sobre as mediações entre a vida coletiva e o indivíduo no contexto da Teoria Sociológica.

A interdisciplinaridade no campo da produção científica e no enfoque dos processos educacionais constitui questão inconclusa que, nas últimas décadas, tem convidado à reflexão os profissionais das mais diversas áreas do conhecimento. Parece ser consensual, embora os argumentos possam ser singulares, a necessidade inadiável de sobrelevar a perspectiva fragmentada da produção e difusão do conhecimento em prol de novos padrões conceituais e metodológicos, capazes de lidar com a complexidade ou multidimensionalidade dos fenômenos que envolvem o homem e a natureza.

O desafio pode ser compreendido em suas últimas consequências como superação da impassível relação entre sujeito e objeto, que fundamenta até certo ponto o desejo da objetividade científica. A adoção de uma visão mais complexa da realidade, como adverte Edgar Morin, um dos estudiosos das implicações epistemológicas dessa questão, pressupõe considerar a inseparabilidade dos fenômenos e seu contexto, as suas influências e sinergia, seus aspectos multifacetados, muitas vezes solidários, mas também conflitivos. Em outras palavras, trata-se de uma advertência sobre a impossibilidade de se manter limites rígidos entre as áreas do conhecimento e, portanto, da impossibilidade de um controle exclusivo sobre o mundo fenomênico.

Por essa perspectiva, a realidade é, ao mesmo tempo, única e diversa, e o conhecimento uma construção que deve ser compreendida em termos das opções teórico-conceituais e metodológicas e, sobretudo, das determinações sociais e históricas. Embora este ensaio não pretenda discutir o tema da interdisciplinaridade, acreditamos que ele constitua uma contribuição nesse sentido ao propor, ainda que de forma não inusitada, porém não menos reflexiva, um espaço de debates entre áreas do conhecimento nem sempre adjuntas e muitas vezes distanciadas pela animosidade patrimonial das verdades que pretendem ser mais genuínas que outras. Portanto, é com o espírito de oposição a essas cisões que sugerimos o confronto entre Durkheim e Freud.

A ideia do confronto não sugere belicosidade, mas cotejamento, interação e diálogo, que obviamente não existiu de fato entre os pensadores em questão, mas que tomamos a liberdade de estabelecer no contexto de um exercício acadêmico. A ideia central é pensar as possibilidades do intercâmbio entre os arcabouços teóricos em função da melhor compreensão das mediações que são estabelecidas na relação dos indivíduos com o meio social, ou seja, com a vida coletiva. Certamente estamos lidando com duas áreas do conhecimento desenhadas segundo os cânones da ciência moderna, por conseguinte muito preocupadas com demarcações e com a identidade de seus objetos.

As categorias de análise e explicação dos fenômenos são marcadamente influenciadas pelo foco de cada pensador – de um lado a sociedade e suas estruturas, do outro o indivíduo e os processos anímicos – mas poderiam ser consideradas percepções parciais de uma realidade mais complexa? Poderiam somar em função de uma compreensão mais rica dessa realidade? Eis, sem a ousadia das certezas pré-formuladas, o nosso itinerário neste ensaio.

Serviço:

Da Consciência Comportada à Dialética da Existência:
Um Confronto de Durkheim e Freud
José Mendes de Oliveira

Scortecci Editora
Psicologia
ISBN 978-85-366-3753-2
Formato 14 x 21 cm 
328 páginas
1ª edição - 2014

Mais informações:

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home